Domingo, 26 de Maio de 2019
DEMANDAS

Estudantes de Ensino Médio no Amazonas criam projetos de soluções práticas

Jovens que participam do curso técnico de Automoção Industrial e fazem parte do programa MedioTec criaram sistemas que ajudam a sociedade a amenizar impactos no dia a dia



estudantes_4DEF5901-2647-4D41-873F-08AA5391958D.JPG
Foto: Divulgação
31/03/2019 às 06:40

No dia a dia, gastos com a manutenção da casa como o consumo de energia tiram o sono de boa parte da população e fazem a diferença no orçamento das famílias no fim do mês. Foi pensando nessas e em outras demandas que um grupo de jovens estudantes do Ensino Médio desenvolveram projetos para solucionar demandas importantes da sociedade amazonense.

Os jovens participam do curso técnico de Automoção Industrial do Centro de Ensino Literatus (CEL) e fazem parte do programa MedioTec, que oferta cursos de educação profissional técnica paralelamente ao Ensino Médio. Leonardo Oliveira Peso, de 18 anos, e mais quatro amigos criaram um sistema de monitoramente de consumo de energia inteligente.

Segundo o jovem, que pretende ser engenheiro, a proposta do grupo é baseada na tecnologia “arduíno” e sensores de corrente. “Eles vão verificar o consumo em tempo real de uma residência ou estabelecimento através do processamento e envio de dados diretamente ao display”, disse.

Dessa forma, segundo Peso, o consumidor conseguirá acompanhar todo consumo de energia elétrica e não terá sustos no fim do mês ao ver a conta de luz. “Dessa forma, todos poderão economizar e pagar o valor que cabe no orçamento”, destacou o jovem. A construção da maquete durou cerca de 5 dias. “Nossa ideia e melhorar o projeto ainda mais para buscar apoio”.

Outra equipe desenvolveu um projeto para diminuir o desperdício de água nos bebedouros e facilitar o uso por pessoas com deficiências. Segundo João Neto, de 21 anos, um dos integrantes da equipe, a ideia surgiu após uma visita técnica. “Vimos um bebedouro industrial que não parava de vazar. Foi então que pensamos que poderíamos resolver aquele problema e tivemos a ideia de automatizar um bebedouro”, disse.

Segundo o estudante, a medida é simples e pode ser implantada em qualquer bebedouro. “Tiramos a torneira manual e colocamos uma bomba que é acionada por um sensor. Dessa forma, evita o desperdício e qualquer pessoa até com limitações poderá utilizar”, disse. Os estudantes agora trabalham para melhorar o projeto para buscar apoio para desenvolver e colocar o projeto no mercado.

Automação

Preocupados com os riscos que trabalhadores são submetidos em algumas indústrias, um grupo de estudantes do curso técnico desenvolveu um carrinho de controle remoto utilizando arduíno e sensores para espaços confinados. “Ele funcionará entrando nesse local confinado e dará todas as informações que um trabalhador faria. Ele poderá medir a temperatura, umidade e informará até se o local tem alguma possibilidade de ter fogo”, explicou Mirely Braga, de 18 anos.

Segundo a integrante da equipe, a ideia surgiu após os estudantes constatarem os altos índices de mortes em espaços confinados, que são lugares onde possui meios limitados de entrada e saída insuficiente de ventilação. “Pensamos em poupar a vida dos trabalhadores e automatizar um projeto. Trazendo para a nossa região, o nosso projeto, por exemplo, entra em uma balsa, que está armazenando combustível, e faz todas as atividades que um trabalhador faria referente às medições de temperatura através dos sensores, além de uma câmera que pode ser integrada”, disse.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.