Publicidade
Manaus
GREVE

Estudantes e agentes penitenciários apoiam ato dos professores durante ato de greve

A Assembléia Geral realizada nesta manhã pelos professores encontrou apoio dos estudantes e da categoria dos servidores penitenciários. 02/04/2018 às 11:10
Show whatsapp image 2018 04 02 at 10.31.19
Alunos se juntaram à causa durante manifestação (Jair Araújo)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Durante o ato de manifestação de funcionários da rede pública de educação do Amazonas, a categoria ganhou apoio de alunos e outros classes trabalhistas. O Sindicato dos Servidores Penitenciários do Amazonas (Sinspeam) aproveitou o ato desta manhã (2) para mostrar apoio aos professores. Nesta manhã, oito alunos subiram no carro de som para falar aos professores e mostrar seu apoio. Um deles foi Rafael Freitas Rodrigues, 17, da escola estadual de tempo integral Zilda Arns, do bairro Colônia Terra Nova. 

"Os professores, além de nossos mestres, são nossos amigos. E temos que apoiá-los pois essa é a única maneira de pressionar o Governo do Estado", disse o jovem.Boatos.

Penitenciários

Já o Sindicato dos Servidores Penitenciários do Amazonas (Sinspeam) veio apoiar a categoria dos professores e chamar a atenção para a reivindicação de 100% de reajuste.

"Nós viemos apoiar e estamos sensibilizados com o movimento dos professores. Falar que o sistema penitenciário do Amazonas está abandonado. Nós queremos um reajuste salarial de 100%, o retorno do vale-alimentação e a aprovação do nosso plano de cargos, carreiras e salários. Há 25 anos não reajustam nossos salários. Quem se aposentar hoje vair passar fome", disse Rocinaldo Silva, presidente do Sinspeam.

Boatos

Sobre notícias de que a greve dos professores estaria se dissolvendo e perdendo força, o comando de greve da Asprom rechaçou o que chamou de tentativa de desmobilização dos professores a postagens feitas na Internet visando enfraquecer a paralisação.

"Nenhuma escola está funcionando hoje. Nao se enganem com informações falsas nas redes sociais. Você que está em greve só acredite no que é repassado pelos comandos de greve", disse o
coordenador financeiro do Asprom/Sindical, Lambert Melo.

Quarenta municípios continuam em greve, garantiu o coordenador.

Publicidade
Publicidade