Publicidade
Manaus
Manaus

Estudantes gastam R$ 300 em reforma de parada de ônibus na Zona Oeste de Manaus

Estudantes tiram dinheiro do bolso e mostram que, quando a comunidade toma conta do que é de todos, Manaus vira uma cidade bem melhor para se viver. Que fique a lição para autoridades e usuários 28/10/2015 às 15:03
Show 1
Estudantes se uniram para cumprir um trabalho e ainda prestaram um serviço para toda a comunidade que usa o busão
fábio oliveira ---

Doze estudantes do 4º período de Administração, da universidade Centro Universitário do Norte (UniNorte), gastaram juntos aproximadamente R$ 300 do próprio bolso para resgatar um ponto de ônibus, localizado em frente a Câmara Municipal de Manaus (CMM), no bairro Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus.

A iniciativa faz parte de um trabalho interdiciplinar elaborado pelo professor Thiago Torres, que ministra uma das disciplinas do curso de Administração. A ação dos estudantes foi autorizada pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

De acordo com o docente Thiago Torres, o objetivo maior do trabalho era mostrar que com boas práticas dá pra fazer algo de melhor qualidade de vida para a sociedade. “É um valor irreal, nós sabemos, até porque não passa por tributação, mas deu pra mostrar que com um pouco de recurso se consegue desenvolver algo melhor pra sociedade”, explicou Torres.

Segundo ele, a intervenção no ponto de ônibus foi realizado por 12 alunos que se empenharam e fizeram uma grande reforma na parada. Ao todo, eles gastaram cerca de R$ 300 em material. “Cada grupo conseguiu um patrocinador e alguns até fizeram com recursos próprios, mas conseguimos mostrar que com pouco recurso dá pra aprimorar e dar algo melhor”, finalizou.

A gerente do projeto acadêmico, a universitária Bruna Moraes da Silva, contou que a ideia foi muito boa e que a iniciativa demonstrou o quanto a turma ficou realizada com o trabalho feito dentro e, principalmente, fora da sala de aula.

“Pra mim foi muito gratificante. A gente fez uma ideia que foi discutida com o professor e o nosso era trabalhar no ponto de ônibus. Foi legal, cada um deu o que podia dar. Foi um trabalho de equipe”, explicou.

Segundo a universitária, os usuários do transporte coletivo sofrem com a precariedade das paradas de ônibus na cidade e reformar foi uma forma de mostrar que com pouco dinheiro se faz algo bom e confortável para os usuários. “Todo mundo que anda de ônibus sabe a dificuldade que é esta no ponto de ônibus. Muitos estão sujos e depredados”, finalizou.

Dois dias de trabalho

Segundo a universitária, os 12 alunos levaram dois dias para reformarem a parada por completa. Ela informou que foram feitos serviços como pintura, reparação do banco, sinalização e introdução de uma placa informativa que contem as linhas de ônibus e as rotas.

“Cada um deu o que podia, um deu cimento, outro a tinta, outro deu dinheiro e assim conseguimos fazer a reforma do ponto do ônibus. Foi legal e foi um trabalho de equipe”, explicou.

Além do ponto, a turma também tem outros projetos como uma horta comunitária e resgate de cultura, ambos feitos no Prosamim.

Publicidade
Publicidade