Publicidade
Manaus
Manaus

Estudantes pressionam CMM para criação de CPI

Falta de respostas claras da Câmara Municipal quanto ao pedido de CPI leva estudantes a ocuparem galaria da Casa 03/10/2013 às 09:36
Show 1
Estudantes ocupam a galeria da CMM e pedem resposta de vereadores sobre denúncia feita por ex-secretário
Adriana Farias ---

Estudantes do ensino fundamental e médio lotaram, nessa quarta-feira (2), a galeria da Câmara Municipal de Manaus, na quarta manifestação para que tramite na Casa o pedido de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigue os aluguéis de prédios que funcionam como escolas municipais. A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) entregou ao presidente da CMM, Bosco Saraiva (PSDB), o pedido de abertura de uma CPI que, dois dias depois, recebeu o reforço do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado do Amazonas (Sinteam). Até agora não houve uma resposta oficial da Câmara sobre o tema.

O pedido precisava que um parlamentar o subscrevesse, o que foi feito pelos vereadores petistas professor Bibiano, Waldemir José e Rosi Matos (PT). Faltam, agora, 14 assinaturas para a matéria tramitar.

Os estudantes e o Sinteam utilizaram como justificativa para apresentar o pedido à CMM as informações dadas pelo ex-secretário municipal de Educação Deuzamir Pereira (PSDB), em matéria publicada no dia 17 de agosto último, em A CRÍTICA, que afirmou existir um esquema dentro da prefeitura para “assaltar o dinheiro da educação”. A CPI pedida é para averiguar suposta irregularidade nos aluguéis das escolas municipais. A prefeitura, de acordo com Deuzamir Pereira, paga, por ano,R$ 29 milhões pelos aluguéis.

“Queremos o apoio dos vereadores para ir ao Ministério Público e à Polícia Federal”, disse ontem o líder estudantil Yann Evanovick, presidente da Ubes-AM, e um dos estudantes presentes na CMM. “Aqui não existe questão pessoal, não estamos aqui para levantar bandeiras políticas. Estamos em nome do povo, queremos esclarecimentos, queremos uma investigação, já estamos aqui pela quarta vez e só queremos que a Câmara cumpra seu papel, que não abra mão de uma atribuição que lhe foi dada pela população, esperamos que essa casa que não é uma anexo da Prefeitura de Manaus, que tem o seu poder, a sua autonomia, cumpra o seu papel que é instalar uma CPI”, reivindicou Yann Evanovick.

Reação

O vereador Elias Emanuel (PSB) afirmou ontem que apoiaria os jovens em muitas causas, mas jamais apoiara causas como a legalização da maconha, a ressalva foi feita quando o vereador viu uma cartaz na galeria, que estava lotada,com o pedido de legalização do uso da maconha. O cartaz foi rasgado por outros jovens assim que o vereador se pronunciou.

“Essa Casa tem o dever de fiscalizar as ações do Executivo Municipal”, disse o vereador Waldemir José (PT), durante o pequeno expediente da CMM. O parlamentar relatou, ainda, que em visitas realizadas em alguns desses prédios alugados, percebeu que vários deles não têm infraestrutura para funcionar com espaço de escola.

Grupo reúne e sinaliza com apoio

O vereador Marcelo Serafim (PSB), propôs a realização de uma reunião com os representantes estudantis. Dela participaram a presidente da comissão de Educação da CMM (Comed), vereadora Terezinha Ruiz (DEM), o presidente em exercício da Câmara, vereador Sildomar Abtibol (PRP), e os vereadores Hiram Nicolau (PSD), Bibiano (PT), Waldemir (PT), Rosi Matos (PT), Professora Jaqueline (PPS), Wilker Barreto(PHS).

Therezinha Ruiz informou que a Comed já pediu informações sobre os custos dos aluguéis à Secretaria Municipal de Educação (Semed) e que está acompanhando esse processo. Diss ainda que as 174 escolas que funcionam em imóveis alugados passam por fiscalização de uma equipe técnica da Semed.

“A Semed disponibilizou uma equipe para atender a demanda dessas escolas. Todos os locais estão sendo avaliados, quanto à instalação hidráulica, elétrica e acessibilidade do prédio aos alunos. Os que não apresentam condições físicas para receber os estudantes, vão passar por reformas ou serão substituídos”, disse a vereadora.

Os vereadores que participaram da reunião prometeram ontem apoiar às iniciativas de investigar sobre as suspeitas de fraude no aluguéis de prédios.

Publicidade
Publicidade