Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
EDUCAÇÃO

Estudantes vencem competição ao contar história de monumento sobre feminicídio

Monumento histórico Roxana Bonessi conta história de tenente do Amazonas vítima de feminicídio. Competição ocorreu nesta quinta-feira (7), entre escolas de Manaus



6d0f2c74-7ef0-4c19-838f-bb8602c3c6fe_878C7B66-BF5C-4A46-AC43-892B9000A5C2.jpg Foto: Divulgação
07/11/2019 às 16:53

Contando a história por trás do monumento Roxana Bonessi, localizado no bairro São Jorge, na Zona Oeste de Manaus, a Escola Estadual Presidente Castelo Branco foi a grande campeã do projeto “Educação Patrimonial e Interdisciplinaridade no Ensino Básico: Manaus 350 Anos”, do Centro de Formação Profissional Pe. José Anchieta (Cepan) da Seduc, na manhã desta quinta-feira (7).

Caracterizados, os alunos da escola contaram que o monumento trata-se na verdade de uma homenagem da família da tenente do Exército Brasileiro Roxana Pereira Bonessi, encontrada morta no dia 2 de dezembro de 2002, como uma forma de manter sua história viva, após ela ter sido vítima de feminicídio.



Durante a realização do projeto, a jornalista policial do A Crítica, Joana Queiroz, que foi uma das primeiras repórteres a cobrir o caso da tenente, colaborou com a pesquisa dos estudantes por meio de uma palestra, relatando como foi o registro na época.

“Até hoje eu lembro como foi quando cheguei na cena do crime, das roupas que ela usava e uma pulseirinha de pedras. Poder dividir o que eu vivi com os alunos e alertá-los sobre a brutalidade de feminicídio é como poder agregar valores a estes meninos e meninas para seu futuro”, disse a comunicadora.

O projeto “Educação Patrimonial e Interdisciplinaridade no Ensino Básico: Manaus 350 Anos”, desenvolvido pelo Cepan da Seduc, teve como principal objetivo aproximar os estudantes com o patrimônio histórico da cidade de Manaus, em decorrência aos 350 anos da capital completados no dia 24 de outubro deste ano, explica a diretora da pasta, Adriana Passos Moreno.

Outras seis escolas estaduais também participaram da final com os respectivos temas:

E. E. Primeiro de Maio -  Nossas histórias: as relações dos alunos da E. E. Primeiro de Maio com o patrimônio histórico do bairro Praça 14.

E. E. Paula Ângela Franssinetti - Educação Patrimonial para o Ensino Fundamental II: uma proposta de incentivo ao respeito, valorização e preservação das diversidades culturais que constituem o patrimônio cultural do bairro Morro da Liberdade e da cidade de Manaus.

 E. E. Adelaide Tavares - Arqueologia urbana, ocupação e preservação do patrimônio histórico cultural da cidade de Manaus: uma perspectiva da História e da Geografia.

E. E. Jairo Rocha - O patrimônio histórico cultural no contexto da educação escolar: Manaus 350 anos.

E. E. Dom Milton - “O patrimônio histórico cultural no contexto da educação escolar: Manaus 350 anos” – cidade nova, parte dessa história.

News wal 0488c851 da85 434c afa9 e1a895689bb3
Repórter de A Crítica
Jornalista formada em 2014 pela Uninorte e pós-graduanda em Gestão de Redes Sociais e Marketing Digital pela Fametro, começou em A Crítica como repórter de esportes em 2016. Hoje atua na editoria de política e economia, com uma enorme paixão pelo jornalismo investigativo.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.