Publicidade
Manaus
Manaus

Estupros contra meninas de 6 e 12 anos são registrados na Depca; suspeitos foram presos

Os dois homens detidos são pessoas próximas das vítimas: um é padrasto de uma das garotas, enquanto o outro é vizinho da criança 24/11/2014 às 13:58
Show 1
Casos foram registrados na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca)
Girlene Medeiros Manaus (AM)

A Polícia Civil do Amazonas registrou dois estupros de meninas na madrugada desta segunda-feira (24). Os crimes aconteceram nos bairros Novo Aleixo, Zona Norte de Manaus, e João Paulo II, na Zona Leste. Os suspeitos são pessoas próximas das vítimas, que tem 6 e 12 anos de idade. Os homens foram presos. 

Segundo informações repassadas pelo delegado Rafael Allemand, da Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Depca), uma menina de seis anos de idade foi aliciada pelo próprio padrasto no bairro João Paulo II. O homem de 32 anos é suspeito de acariciar os seios da garota.

A mãe da menina, de 47 anos, contou que a garota gritou pedindo socorro. O caso foi atendido por policiais militares da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom). O homem confessou o crime e há foi preso e levado à cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro, Zona Sul de Manaus. 

Vizinho é suspeito

O segundo caso registrado envolve o aliciamento de uma adolescente de 12 anos. O crime aconteceu no bairro Novo Aleixo e o suspeito de ter abusado da garota é um vizinho da menina, de 21 anos. O pai da vítima contou à polícia que precisou sair para prestar auxílio a um conhecido no Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, na Zona Leste da cidade. 

Conforme a ocorrência, o vizinho confirmou o relato da menina e disse que tirou a própria roupa e a vestimenta da menina e passou a acariciá-la. O homem confessou ainda ter passado as partes íntimas nas da garota. O vizinho também foi encaminhado à cadeia Vidal Pessoa. 

Os dois homens fizeram exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e vão responder pelo crime de estupro de vulnerável. 

Publicidade
Publicidade