Publicidade
Manaus
Manaus

Ex-conselheiro tutelar do Pará é preso em Manaus acusado de estupro de vulnerável

A polícia recebeu denúncias de que um “estuprador” estava escondido no bairro Alvorada, em Manaus. O homem foi preso após a Justiça do Pará enviar à Polícia Civil do Amazonas o mandado de prisão expedido em nome dele 15/10/2013 às 17:46
Show 1
O suspeito foi encaminhado ao 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde também prestou depoimento
VINICIUS LEAL* Manaus (AM)

Considerado foragido da Justiça paraense, o ex-conselheiro tutelar Edval Oliveira dos Reis, conhecido “Bacana” e natural da cidade de Terra Santa (PA), foi preso no início da tarde desta terça-feira (15) na casa onde morava, no bairro Alvorada 2, na Zona Centro-oeste de Manaus. Segundo a polícia, Edval é acusado no Pará pelo crime de estupro de vulnerável.

Uma equipe da Força Tarefa da Secretaria de Segurança Pública efetuou a prisão de Edval, que estava sendo investigado desde o dia 17 de setembro pelos policiais do 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Segundo o delegado Paulo Benelli, titular do 10º DIP, os policiais da Força Tarefa estavam monitorando Edval a pedido da Polícia Civil.


Conforme Benelli, o suspeito está no Amazonas desde o início do ano. Ele retornou recentemente ao Pará para tratar de assuntos pessoais e acabou voltando a Manaus ontem, segunda-feira (14). As investigações iniciaram após os policiais do 10º DIP receberem denúncias de que um “estuprador” estava escondido no bairro Alvorada.

Além de ex-conselheiro tutelar, Edval também é suplente de um vereador no município de Terra Santa, cujo nome não foi revelado. Ao A CRÍTICA, o delegado Benelli contou que entrou em contato com a Justiça do Pará e verificou que havia um mandado de prisão expedido em nome de Edval. O mandado foi encaminhado a Manaus, resultando na sua prisão.

O processo a que o suspeito é acusado, por estupro de vulnerável, tramita em segredo de Justiça e por isso não foram repassadas mais informações sobre o crime. Edval não resistiu à prisão e disse que ficou surpreso porque não sabia do mandado de prisão. Ele negou ter cometido o crime e alegou que o caso não passa de um mal entendido entre ele e a esposa. Edval ficará preso na delegacia até ser enviado de volta ao Estado do Pará.

*Com informações da repórter Kelly Mello

Publicidade
Publicidade