Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
MAUS CAMINHOS

Ex-secretária do FES diz ter aceitado ajuda de Moustafa por estar 'vulnerável'

Katyane Evangelista foi a última a depor nesta terça-feira (6). Ela disse que o auxílio financeiro do médico não se tratou de propina



WhatsApp_Image_2019-08-06_at_17.32.29_8DC869BF-4D24-464D-B85D-34EF48EC8934.jpeg Foto: Márcio Silva/ A Crítica
06/08/2019 às 17:42

A ex-secretária adjunta do Fundo Estadual de Saúde (FES) Katyane Evangelista foi a última a depor nesta terça-feira (6). A audiência iniciou às 15h50 e seguiu até 17h10.

Durante o depoimento, Evangelista - que atualmente exerce cargo comissionado na Assembleia Legislativa de Amazonas (ALE-AM) - declarou-se inocente da acusação de receber propina e privilegiar contratos do Instituto Novos Caminhos, do médico Mouhamad Moustafa.

Entretanto, a ex-secretária adjunta confessou ter recebido R$ 3 mil emprestado de Moustafa durante uma dificuldade financeira em uma viagem a trabalho. Além disso, ela disse ter recebido ajuda do médico com passagens e diárias para uma viagem com a mãe e o filho. Tudo foi ofertado por ele, que não teria aceitado o pagamento. Entretanto, os R$3 mil teriam sido devolvidos.

 Evangelista relatou ter aceitado a ajuda de Moustafa em outra ocasião, quando precisava de consulta neurológica e tratamento de homecare - cuidados em casa - para o filho.

Questionada sobre o motivo de ter aceitado as ajudas do médico, já que afirmou não ter vínculos de amizade, ela disse que estava vulnerável.

"Nunca houve privilégio. Ele sempre ia atrás das coisas, às vezes eu tava em reunião e quando saía já tinha uma mensagem, um recado que o pagamento estava liberado, aí quando ia ver nos sistema já constava a autorização", afirma.

Por fim, Katyane disse que o intuito era organizar a Saúde do Estado que, segundo ela, estava uma bagunça quando chegou.

"Eu trabalhava muito, quando fui para lá tentei organizar e deixar a Saúde e o Fundo funcionando corretamente. Em nenhum momento privilegiei A ou B. O trabalho sempre foi tentar organizar e em todo o período que trabalhei lá não houve privilégio e eu segui ordens, as decisões eram em conjunto, tudo o que eu fazia era de conhecimento deles (secretários)", alegou.

Amanhã (7) os depoimentos retornam às 9h. O primeiro a depor será o ex-secretário de Saúde Pedro Elias, seguido de Raul Zaidan e Wilson Alecrim. De tarde, os depoimentos serão retomados com Afonso Lobo e finalizado com o ex-governador José Melo, conforme ordem acertada entre a juíza Ana Paula Serizawa e os advogados das partes.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.