Sábado, 17 de Agosto de 2019
EM DEPOIMENTO

Ex-secretário executivo do Fundo Estadual de Saúde nega ligação com réus da Maus Caminhos

José Duarte Filho foi interrogado na Justiça Federal nesta terça-feira (6). Ele negou ter recebido dinheiro no esquema de desvios da Saúde do Amazonas.



08a34922-5c24-489a-9a59-066770c81983_3BFBF27D-F3FC-4016-A84B-229DFB07C5E6.jpg Foto: Márcio Silva/ A Crítica
06/08/2019 às 16:28

Seguindo com os interrogatórios do processo de originário da operação Maus Caminhos, a Justiça Federal interrogou, na tarde desta terça-feira (6), o ex-secretário executivo do Fundo Estadual de Saúde, José Duarte Filho. A sessão iniciou às 14h. 

A juíza federal Ana Paula Serizawa, responsável pelo processo, conduziu a coleta de depoimentos e questionou a ligação de Duarte com outros investigados.

O ex-secretário negou todas as ligações. "Não tinha relação com Mohamad [Mustafa] e não recebi dinheiro de quem quer que seja" afirmou. "Conheci o Wilson Alecrim em 2005 quando foi convidado a trabalhar na Secretaria de Saúde por causa do meu currículo, das experiências anteriores, só isso", seguiu o réu, acrescentando que os encontros com Afonso Lobo e Raul Zaidan tratou-se apenas de despachos de documentos.

Durante o depoimento, Duarte explicou processos de licitações, destinamento de verbas estaduais e federais e disse ainda que as visitas de outros investigados tornaram-se recorrentes na Secretaria de Estado da Saúde (Susam) a partir de 2014, quando a crise financeira no estado começou a piorar e eles tentavam encontrar soluções.

Consta nas investigações que ele é suspeito de receber R$ 80 mil por mês para colaborar nos desvios de recursos da saúde pública. Ele alega não ter participado e que seu nome foi citado por Mustafa de forma equivocada, porém diz não saber a razão de ter sido citado.

"Queria reiterar minha inocência. Nesse período, a Polícia Federal foi na minha casa, quebrou meu sigilo bancário, fui acusado de fazer parte de uma organização criminosa, mas que organização é essa se não foi encontrado nenhuma evidência contra mim? Por isso minha indignação em envolver meu nome. Minha vida foi revirada, eu fui julgado pela sociedade, tudo porque usaram meu nome de forma indevida" defendeu-se.

Amanhã, na quarta-feira (7), às 9h, a juíza federal Ana Paula Serizawa, da 4ª Vara da Justiça Federal, responsável pelo processo, interrogará José Melo e os ex-secretários Pedro Elias, Raul Zaidan, Wilson Alecrim e Afonso Lobo. De acordo com a defesa do ex-governador, ele será o último a prestar depoimento. As audiências poderão continuar nos outros dias caso seja necessário.

Receba Novidades

* campo obrigatório
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.