Publicidade
Manaus
Manaus

"Exército" contra a analfabetização

Ufam inicia a formação de 477 orientadores que vão atuar no Plano Nacional pela Alfabetização na Idade Certa no Amazonas 09/03/2013 às 20:38
Show 1
A coordenadora institucional do Pnaic, Zeina Thomé, disse que os orientadores devem alcançar mais de 11,9 mil professores
Ana Celia Ossame Manaus (AM)

Na próxima segunda-feira, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) vai iniciar a formação inicial de 477 orientadores de estudos que vão atuar no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic). Lançado pela presidente Dilma Rousseff, o programa tem o objetivo de assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas em Língua Portuguesa e Matemática até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do ensino fundamental.

A professora doutora Zeina Thomé, coordenadora institucional do programa, destaca a participação de todas as secretarias municipais de educação, além da estadual, para assegurar a oportunidade deste evento, que deverá alcançar mais de 11,9 mil professores que atuam nas primeiras séries do ensino fundamental. De acordo com Zeina, os professores capacitados irão para os municípios atuar como orientadores. Cada um deles vai trabalhar com um grupo de 25 professores, que terão uma formação continuada em curso presencial de dois anos de duração, com
carga horária de 120 horas por ano. 

O programa, que tem ainda como coordenadores adjuntos os professores Clotilde Tinoco e Carlos Rubens, da Faculdade de Educação (Faced) da Ufam, vai responder ao desafio assumido pelo Governo Federal de enfrentar o problema de muitas crianças brasileiras concluírem o ciclo destinado à alfabetização sem estar plenamente alfabetizadas, informa Zeina.

Esforço Nacional


Foi no ano passado, segundo Zeina Thomé, que o Ministério da Educação (MEC) decidiu realizar uma operação nacional de formação continuada e, nesse contexto, nasceu o pacto. Além da formação presencial para professores alfabetizadores do 1º, 2º  e 3º anos, as classes de multietapas e multisseriadas também serão atendidas pelo programa.

A Ufam tem o compromisso de ministrar o curso de formação inicial articulado com o programa Pró-Letramento, explica a professora, citando que serão disponibilizados aos professores material didático composto de livros e vídeos.

O pacto está centrado na gestão, na formação e na avaliação, explica Zeina, para assegurar que a formação está centrada em três fatores fundamentais, que são ter professores alfabetizadores bem preparados e comprometidos, disponibilidade de materiais didáticos e pedagógicos apropriados e que estimulem a aprendizagem, tais como livros didáticos, paradidáticos, obras de literatura, jogos e mídias variadas. É importante também, conforme argumenta Zeina, que os professores alfabetizadores saibam manuseá-los e extrair dos conteúdos informações capazes de dinamizar as aulas e alcançar o objetivo de alfabetizar em cada ano.

Publicidade
Publicidade