Publicidade
Manaus
OPERAÇÃO

Exército, Força Nacional e PM fazem revista na Cadeia Pública Vidal Pessoa

Varredura é a primeira atividade do Exército na crise do sistema prisional do Estado; entorno da cadeia está fechado para carros e pedestres 31/01/2017 às 08:00 - Atualizado em 31/01/2017 às 10:27
acritica.com Manaus (AM)

Militares do Exército Brasileiro, integrantes da Força Nacional e policiais militares do Amazonas iniciaram uma grande operação de revista na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa na manhã desta terça-feira (dia 31). 

A revista é a primeira ação do Exército Brasileiro nos presídios do Amazonas desde que o Governo do Estado oficializou o pedido de reforço no último dia 19 de janeiro, após assinatura de decreto que regulamentou atuação das Forças Armadas na crise do sistema prisional brasileiro. 

Por conta da atividade, todo o entorno da Cadeia Pública, que fica na Avenida 7 de Setembro, no Centro de Manaus, foi fechado. Nem carros nem pedestres podem passar pelo local, deixando o espaço ocupado por pelo menos 60 viatures de todos os órgãos envolvidos na operação. 

As forças de segurança entraram no presídio logo no início da manhã, por volta das 6h, mas os trabalhos ficaram prejudicados por conta da forte chuva que atingiu Manaus no início da manhã desta terça-feira. Por volta das 9h30, parte dos militares que fizeram a revista começaram a deixar o presídio. A reportagem flagrou militares saindo com sacolas com celulares, carregadores e baralhos.  De acordo com o membro da Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Glen Wilde Ferreira, a revista foi tranquila, mas também foram encontrados estoques - armas brancas caseiras - e barras de ferro, que poderiam representar perigo dentro da cadeia. 

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) foi impedida de acompanhar a ação, o que gerou protestos por parte do defensor Roger Moreira de Queiroz., 

Esta será apenas a segunda revista no local desde que 65 detentos foram mortos no sistema prisional do Estado, no início de janeiro - quatro deles na Vidal Pessoa. Na primeira revista, há uma semana, ainda sem a presença do Exército, foram encontrados celulares, facas, simulacro de arma de fogo e uma 'teresa' de 9 metros. 

O balanço sobre o que foi apreendido será apresentado pelo Ministro da Defesa Raul Jungmann, que nesta terça-feira se reúne em Manaus com o colombiano  Luiz Carlos Villegas, responsável pela mesma pasta no governo da Colômbia. 

Ação aprovada

Com todos os acessos fechados ao entorno da Vidal Pessoa, são poucos os parentes dos 246 detentos presos na cadeia que acompanham a operação. Uma delas é  a doméstica Denise Silva (foto). O marido dela está preso no local e ela chegou por lá às 6h30, assim que ficou sabendo, pela televisão, da ação de revista. "Fiquei pensando que era outra fuga. Desde primeiro de janeiro não falo com ele. Só tive uma informação de uma assistente social dizendo que ele estava na enfermaria", afirmou ela, que ficou mais segura com a presença do Exército. "Eu concordo que isso tem que acontecer. Ficamos mais tranquilos com o Exército porque esses objetos precisam ser retirados mesmo".

Uma outa parente de detento, que não quis se identificar, também chegou ao local por volta das 7h. O genro dela está preso no local por desvio de medicamentos. "Sou de pleno acordo com essa revista, pois acreditamos que a Força Nacional pode ajudar na retirada dos materiais. Me deixa muito aliviada essa revista, pois todos estavam sendo ameaçados de morte".

Publicidade
Publicidade