Publicidade
Manaus
Preparação

Experiência pós-Copa de 2014 é trunfo para Manaus visando Jogos Olímpicos deste ano

Comitês estadual e municipal e servidores públicos falam sobre planejamento para evento que pode reunir 120 mil turistas na cidade; estrangeiro que esteve na capital para o Mundial elogiou a receptividade dos manauenses 27/04/2016 às 10:47 - Atualizado em 27/04/2016 às 11:45
Show dfhgdfdf
O professor norueguês Tor-Arne Midtgarden (de camisa branca) esteve em Manaus na Copa de 2014 e elogiou a receptividade dos manauenses / Foto: Divulgação
Paulo André Nunes Manaus (AM)

A experiência adquirida com a Copa do Mundo de 2014 em Manaus é considerado um grande trunfo para os comitês estadual e municipal visando as seis partidas pelas Olimpíadas, este ano, em Manaus. E isso é muito bem frisado pelos organizadores, que  também enfatizam o caráter turístico da cidade para atrair visitantes na maior competição esportiva do Planeta. Os comitês locais evitam falar em pendências ocorridas durante o Mundial de 2014 - como reclamações de usuários do transporte coletivo, por exemplo.

O diretor-presidente da  Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) e coordenador municipal do Comitê Organizador Manaus 2016 para a Olimpíada, Bernardo Monteiro de Paula, evidencia que a “preocupação durante a Copa do Mundo foi maior porquê tudo era novo para a cidade”. Hoje, diz o representante, o maior legado pós-Copa é trabalhar em “transversalidade” com vários órgãos envolvidos (segurança e transportes) e constatar que os “servidores públicos já aprenderam a lidar com eventos do tipo”. Desta vez, diz ele, “precisamos ajustar certas coisas, como jogos em rodada dupla”. “Manaus tem potencial turístico e é preciso incentivar isso pois nossa cidade atrai olhares”, completa ele.

Segundo o coordenador estadual do Comitê Organizador Manaus 2016, Mário Aufiero, tudo está acontecendo dentro do cronograma. Entre as ações relatadas por ele está o edital de chamamento de 350 voluntários, sendo 50% deles bilingues da língua inglesa e japonesa, para atuar tanto no receptivo de aeroportos, portos, hospitais e delegacias, quanto nos principais pontos turísticos da cidade como o Largo de São Sebastião, que será um dos pontos de concentração para turistas, a exemplo da Copa do Mundo.

“Queremos desenvolver uma campanha forte em prol do turismo local para que, de forma definitiva, apresentemos Manaus para  o mundo, potencializando o turismo e a cultura”, destaca Aufiero.

A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) informou que o esquema adotado para o transporte coletivo nos dias de jogo das Olimpíadas deverá ser semelhante ao da Copa do Mundo, quando, além das linhas que já circulam normalmente no entorno da Arena da Amazônia, linhas especiais vão sair de pontos estratégicos da cidade com destino direto o estádio.

“O planejamento de transporte ainda está sendo definido, visto que discussão sobre a operação nos dias de jogos da Olimpíada envolve diversos órgãos municipais e estaduais”, informa a assessoria do órgão.

Já a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) não adiantou quais as ações alusivas ao evento.

O FUTEBOL DOS JOGOS OLÍMPICOS EM MANAUS

Dia 4/8 (masculino)

Suécia x Colômbia

Nigeria x Japão

Dia 7/8 (masculino)

Suécia x Nigéria

Japão x Colômbia

Dia 9/8 (Feminino)

Eua x Colômbia

Brasil x Africa do Sul

BLOG

Tor-Arne Midtgarden, 26 anos, professor norueguês que esteve em Manaus durante a Copa de 2014

“Estive durante a Copa do Mundo de 2014 em Manaus para acompanhar a partida entre Estados Unidos x Portugal. Esse foi o melhor jogo do Mundial daquele ano. E a recepção que eu tive em Manaus foi muito boa. Senti as pessoas muito orgulhosas de Manaus e pela cidade estar sediando a Copa. Gostei muito, as pessoas foram muito amigáveis. Ficamos no mesmo hotel que os familiares da seleção americana. Em alguns restaurantes até me senti celebridade. Acho que não vou esse ano para assistir a Olimpíada porquê o campeonato europeu é no mesmo período.

Investindo em cursos para as Olimpíadas

Funcionários públicos municipais que participaram de cursos de atendimento ao turista disseram que a atividade foi de grande valia no dia a dia do seu segmento.

A guarda municipal Karen Priscila da Silva Monteiro, 35, por exemplo, participou há 4 meses do curso de inglês e, há uma semana, para o trato com turistas na Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi). “Os cursos abrem portas para nos comunicarmos com os turistas. Já estou colocando em prática o que eu aprendi em locais como a Ponta Negra”, disse a guarda.

O também servidor municipal Agostinho Silva, 48, também fez cursos na Espi, mas traz como trunfo o domínio do espanhol:“Nasci em Letícia, na Colômbia, e saber o idioma me facilita no dia a dia”.

Publicidade
Publicidade