Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020
INOVADOR

'Experimentando Ciência' anuncia vencedores de concurso no AM

Promovido pela Seduc desde 2016, o concurso incentiva o desenvolvimento de experimentos de baixo custo de Ciências da Natureza entre estudantes da rede pública



baixo_custo_20130823-AC52-42B2-B561-2C5663B06E1D.JPG Foto: Divulgação
09/12/2019 às 09:43

A Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) divulgou, na sexta-feira (6) o resultado final do 4º Circuito de Experimentos de Baixo Custo (Cebac) das escolas públicas da capital, em evento que teve transmissão ao vivo para o interior do Estado – por meio do Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam). A premiação ocorreu no auditório do Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Gilberto Mestrinho, na zona sul de Manaus.

Promovido pela Secretaria desde 2016, o Cebac tem como objetivo incentivar o desenvolvimento de experimentos de baixo custo de Ciências da Natureza, utilizando materiais alternativos e despertando, assim, o interesse científico e a criatividade dos estudantes da rede pública do Amazonas. Em 2019, o circuito contou com mais de 230 projetos inscritos nas etapas distritais.



De acordo com o coordenador do circuito, professor Mailson Rafael, o resultado desse ano demonstrou que os alunos estão, cada vez mais, evoluindo nos experimentos, com trabalhos mais aprimorados e os estudantes explicando a fundamentação científica com domínio.

“Isso nos dá a certeza de que o letramento científico e o ensino de Ciências pode avançar muito e melhorar a qualidade da educação de nossas escolas. O Circuito de Experimentos é nossa vitrine para mostrar quão brilhante é o trabalho dos nossos professores de Ciências da Natureza das nossas escolas”, afirmou.

Os estudantes Felipe Silva e Stéfany Santos, ambos de 18 anos, da Escola Estadual Jairo da Silva Rocha, apresentaram o experimento “Colorindo as flores” e afirmaram que aprenderam muito com o projeto. “Conseguimos perceber o quanto é importante cuidar do meio ambiente”, afirmou Felipe.

Da Escola Estadual Antônio Lucena Bittencourt, o aluno Gabriel Bento da Silva, 18, apresentou o experimento “Helicóptero caseiro”, no qual buscou mostrar a importância da eletricidade no dia a dia. “Usando protótipos de helicóptero, eu mostrei, na prática, como funcionam os componentes elétricos”, disse Gabriel.

Sobre o Cebac 

Lançado em 2016, o Circuito incentiva o desenvolvimento de experimentos de baixo custo de Ciências da Natureza, utilizando materiais alternativos e despertando o interesse científico e a criatividade dos estudantes. A disputa estimula cada professor a apresentar experimentos aos estudantes, oriente e acompanhar a sua realização, tornando as aulas mais atraentes. Neste ano, o Circuito teve como tema “Experimentando Ciência”.

Confira abaixo o resultado final do 4º Circuito de Experimentos de Baixo Custo (Cebac)

Categoria 1 - Educação Inclusiva

Primeiro lugar:

EETI Maria do Céu Vaz D’Oliveira, “Medindo a energia dos alimentos”

Segundo lugar:

EETI Djalma Batista, “Holograma 3D caseiro”

Terceiro lugar:

Colégio Amazonense Dom Pedro II, “Cascata de fumaça”

Categoria 2 - 4º ao 5º ano Fundamental

Primeiro lugar:

Escola Estadual Bom Pastor, “A imagem invertida”

Segundo lugar:

Escola Estadual Isaac Benayon Sabbá, “Moedas equilibristas”

Terceiro lugar:

Escola Estadual Elira Pinheiro, “Extraindo ferro de cereais matinais”

Categoria 3 - 6º ao 7º ano Fundamental

Primeiro lugar:

Escola Estadual Maria de Lourdes R. Arruda, “Copo satélite”

Segundo lugar:

Escola Estadual Tiradentes, “Submarino de garrafa pet”

Terceiro lugar:

Ceti Garcitylzo do Lago e Silva, “Boia ou não boia? Propriedade da matéria, massa, volume e densidade”

Categoria 4 - 8º ao 9º ano Fundamental

Primeiro lugar:

Escola Estadual Ana Lúcia de Moraes, “Convecção térmica”

Segundo lugar:

Escola Estadual Leopoldo Péres, “Bioplástico de amido”

Terceiro lugar

Ceti Elisa Bessa Freire, “Pressão esmagadora”

 

 

 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.