Publicidade
Manaus
SEPROR

Expoagro e agricultura familiar: os planos do governo do AM para o setor primário

Titular da Sepror, Petrúcio Magalhães defende a melhor qualificação da mão de obra técnica e a capacitação continuada dos profissionais que estão diretamente em contato com os produtores rurais em campo 22/01/2019 às 02:01
Show producao rual 78ade3b9 a1cb 4b97 8222 e99ec4eb9363
Foto: Divulgação
Antônio Ximenes Manaus (AM)

O secretário de Produção Rural do Amazonas (Sepror), Petrúcio Magalhães, está a todo vapor trabalhando na retomada do crescimento do setor primário, a partir de ações concretas junto a agricultura familiar e todas as cadeias produtivas. Ele tem cem dias para apresentar resultados concretos ao governador Wilson Lima.

"Vamos acelerar o programa Pro-mecanização; o Pro-calcário; Pro-semente, reduziremos o desperdício das feiras de Manaus; criaremos as condições para que a ração chegue a preços competitivos aos produtores de peixe, ovos, suínos, bovinos, enfim de todas as cadeias que precisam, de farelo de soja e milho", destacou em reunião realizada com 120 produtores rurais na Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (FAEA).

Com sua linha de frente definida, através do Idam, Adaf e ADS, Magalhães defende a melhor qualificação da mão de obra técnica e a capacitação continuada dos profissionais que estão diretamente em contato com os produtores rurais em campo. Sua política, é de fortalecimento dos quadros do sistema Sepror, através da integração que permitirá agilizar as atividades em todos os setores, beneficiando os produtores rurais do Amazonas em todas as calhas.

Ele disse que saberá encaminhar da melhor maneira os recursos provenientes do novo orçamento do setor primário, que saiu de R$ 96 milhões de 2018, para algo superior a R$ 400 milhões em 2019; em função da PEC de 3%, que fez com que o Estado saltasse de um repasse constitucional de 0,69% para 3% para a Sepror.

"A melhor qualificação da mão de obra técnica, já existente, e o foco na modernidade nas relações com os agricultores familiares, e o fortalecimento do cooperativismo fazem parte da nossa pauta", comentou.

Ração

Há, no entanto, um gargalo a ser resolvido. Trata-se da ausência de ração suficiente para alimentar os rebanhos, as aves, suínos, peixes e outras cadeias produtivas. Nesta direção, a FAEA, junto com a superintendência do MAPA no Amazonas, a Secretaria da Fazenda e a Sepror estão trabalhando alinhadas, na direção de manter conversações de alto nível com o Grupo Amaggi, para que se obtenha farelo de soja e milho existentes no Porto Graneleiro de Itacoatiara, para abastecer o mercado interno.

Enquanto a questão da ração não se define, o Amazonas continua com um grau elevado de dependência de milho e farelo de soja do Mato Grosso. A situação não é mais delicada, porque produtores como Francisco Helder Peixoto, proprietário da Fazenda São Pedro, maior produtora de ovos do Amazonas, com uma média de 750 mil ovos/dia, tem uma fábrica de ração para aves e peixes, que repassa para o mercado interno.

"Tive que montar uma estrutura no Mato Grosso para poder trazer a matéria prima para o Amazonas, com vistas a abastecer a minha produção e o excedente repassar para o mercado", afirmou Francisco Helder Peixoto, uma das referências da avicultura na Amazônia.

Expoagro volta em 2019

A Feira e Exposição Agropecuária do Amazonas (Expoagro), mais importante evento agropecuário do Estado acontecerá em outubro, depois de cinco anos sem atividades. A decisão tomada pelo governador Wilson Lima e sob responsabilidade da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) vai beneficiar milhares de produtores rurais, que terão uma vitrine de alta tecnologia e com linhas de crédito à disposição para mostrar seus produtos.

“Nós estamos estudando o melhor local para o Parque de Exposições Agropecuárias Eurípedes Ferreira Lins, mas a decisão já está tomada: a Expoagro vai acontecer”, afirmou o secretário de Produção, Petrúcio Magalhães Júnior.

Com o Amazonas na condição de Estado sem risco de aftose com vacinação, e um rebanho de 1,3 milhão de cabeças evoluindo para algo próximo de 1,5 milhão nos próximos dois anos, os pecuaristas estão prontos para mostrar seus planteis.

A raça Girolando leiteira, que no Amazonas tem um melhoramento genético de nível internacional, é uma das dezenas de raças, que serão apresentadas na Expoagro. A piscicultura, com escala e alta tecnologia, como a existente em Rio Preto da Eva, também está aguardando a Expoagro, para mostrar o que há de mais avançado na área.

A reativação da Expoagro integra o pacote de medidas do Plano de 100 dias do Sistema Sepror, capitaneadas pelo Secretário Petrucio Magalhães e sua equipe, vão de encontro a modernidade e o melhoramento da qualidade de vida dos produtores rurais do Amazonas, especialmente da agricultura familiar.

Por isso foram elaboradas ações para o desenvolvimento da agricultura, pecuária, piscicultura, extrativismo. O entendimento do secretário Magalhães é de que é fundamental superar os desafios da infraestrutura, do crédito rural, da assistência técnica e extensão rural, da distribuição de sementes e a geração de emprego e renda no campo e em Manaus.

Desperdício

Em uma sociedade onde os alimentos são fundamentais na mesa das famílias, especialmente as de menor renda, não pode haver desperdício. Razão  pela qual, é de vital importância a implantação do Programa Estadual de Redução do Desperdício de Produtos nas Feiras da Capital. Isso se dará em parcerias firmadas entre a Sepror, Fundo de Promoção Social, Fundo Manaus Solidário, Sindicatos dos Feirantes e Universidades.

Setor apoia a iniciativa das reuniões

O presidente da FAEA, Muni Lourenço, disse que a atitude do secretário da Produção Rural, Petrucio Magalhães, de realizar encontros com os produtores rurais na instituição, foram realizados três até o presente momento, com 120 produtores rurais do interior e da capital; com os aquicultores e avicultores, em menos de 15 dias, mostra o compromisso da Sepror de estar junto com quem movimenta o setor primário diretamente na fonte.

"Essas ações nos agradam, porque evidencia o comprometimento com os agricultores, pecuaristas e todas as cadeias produtivas do Estado", disse Muni Lourenço. O presidente da Associação Amazonense de Avicultura (AAMA), Kuniya Takano, destacou que o setor precisa muito deste tipo de mobilização promovida por Magalhães para ampliar o relacionamento com o governo estadual na busca de soluções para a categoria. Nós acreditamos que é com dialogo e ações práticas, que conseguiremos melhorar o setor, e Petrucio está fazendo isso muito bem".

Publicidade
Publicidade