Publicidade
Manaus
Manaus

Faixa liberada é opção para quem busca vida saudável em Manaus

Quem costuma participar das atividades do projeto garante que a ideia é uma forma de estreitar laços com a qualidade de vida 25/07/2015 às 10:49
Show 1
Na Faixa Liberada os espaço é destinado à prática de vários tipos de esporte, como ciclismo, caminhada, patinação e outros
KELLY MELO ---

A tecnóloga em logística, Djanira Canavarro, 31, está empenhada perder peso. O filho dela, Izaque Canavarro, de 5 anos, apesar da pouca idade, também está com sobrepeso. Para perder os “quilinhos” que estão sobrando, os dois frequentam as aulas de dança aeróbica que acontecem todas as quartas-feiras a noite na Ponta Negra. Uma forma simples e divertida de sair do sedentarismo e adquirir qualidade de vida.

“Depois da gravidez eu ganhei peso e me acomodei. Agora, por questão de saúde, quero perder os quilos que estão em excesso e ter uma vida mais saudável. O meu filho também está acima do peso, então trago ele, e um incentiva o outro”, diz ela.

Assim como Djanira e Izaque, outras centenas de pessoas aproveitam as horas livres para caminhar, correr e dançar nas “Faixas Liberadas”, espalhadas em toda a cidade. Atualmente, seis bairros da capital recebem o projeto, mas a Secretaria de Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel) estuda a possibilidade de ampliar o programar e “pescar” novos adpetos.

“Além da Ponta Negras, às quartas e domingos, também estamos no Parque das Laranjeiras, no Jorge Teixeira, São José e na primeira etapa do Viver Melhor. Temos recebido muitos pedidos e estudamos a possibilidade de levar o projeto para o Viver Melhor 2 e para a Zona Sul”, explica o secretário da Semjel.

Auto-estima

Quem costuma participar das atividades da Faixa Liberada garante que a ideia é uma forma de estreitar laços e, principalmente, ter qualidade de vida. Marcelo Oliveira, 27, por exemplo, gosta de patinar e afirma que no último ano além de perder aproximadamente 10 kg, ele também conseguiu controlar o colesterol, melhorou o condicionamento físico e a auto-estima.

“Eu comecei a patinar por uma necessidade de saúde mesmo. Na adolescência andava de patins no Coroado, mas depois relaxei. Agora estou voltando a ter uma vida mais saudável”, conta ele. A esposa dele, Rosangela Sobreira dos Santos, 27, nem se equilibrava em um patins até há dois meses.

Hoje, ela substituiu a academia pela patinação. “Ainda estou aprendendo, mas me senti melhor patinando porque é uma atividade ao ar livre e não é estressante”, afirma Rosangela Sobreira.

Novas ‘Faixas’

A Semjel informa que o projeto Faixa Liberada não ocorre mais no Passeio do Mindu, no Parque Dez, zona Centro-Sul. Com a criação de outras faixas em três novos pontos na cidade e a crescente participação da população em outras áreas.

Ponta Negra

Na faixa liberada da Ponta Negra, uma extensão de aproximadamente 1,5 Km da avenida é fechada todas as quartas e domingos para a prática de esportes e lazer. De acordo com o diretor de esportes da Semjel, João Victor Montrezol, mais de 4 mil pessoas passam pelo local durante as cinco horas de atividades físicas gratuitas que são oferecidas.


Publicidade
Publicidade