Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020
Manaus

Falhas na cadeia pública Raimundo Vidal Pessoa facilitam fugas de detentos, em Manaus

Somente em setembro, 18 detentos fugiram da cadeia pública, a maioria pulando a muralha desprotegida da unidade. Moradores próximos ao local temem por segurança



1.gif Vizinha da Cadeia Pública, Jovana Aires mantém as portas e janelas de casa trancadas quando há problemas na unidade
02/10/2014 às 11:51

A ausência de guardas nas guaritas das muralhas da cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, localizada na esquina na avenida 7 de Setembro com a rua Duque de Caxias, no Centro, Zona Sul, favoreceu a fuga de 18 presos, só no mês de setembro. Desses, apenas seis foram recapturados. Todas as fugas aconteceram durante o dia.

A primeira fuga aconteceu no dia 6, quando um detento fugiu pela porta da frente da unidade, dentro do carrinho de lixo. No dia 14 aconteceu a segunda fuga, quando três presos pularam a muralha dos fundos.



Na última segunda-feira, em uma ação filmada pelas câmeras de segurança do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), 14 detentos pularam o muro da cadeia usando uma “Tereza”, corda feita com lençóis ou peças de roupas.

Dos que escaparam na última fuga, apenas seis foram recapturados. A última fuga só não foi maior porque a ação foi descoberta pelas câmeras do Ciops e a segurança da cadeia foi avisada e conseguiu recapturar alguns dos internos ainda nas redondezas.

Sem revista

Na primeira fuga registrada este mês, a falta de revista facilitou. O detento contou com a ajuda de outro preso, que era responsável pela coleta de lixo da cadeia, para sair da unidade. Ele colocou sacos de lixo na cabeça, entrou no carrinho do lixo e o colega passou pela portaria e o despachou na rua, onde já havia um carro esperando. O carrinho de lixo não foi revistado pela guarda externa do presídio, que é feita por policiais militares.

Nas demais fugas, os presos usaram uma Tereza para subir e descer a muralha.Falha persisteMas nem as fugas foram suficiente para mudar o esquema de segurança na cadeia pública. Pelo menos, foi o que se viu ontem de manhã, quando a maioria das guaritas no alto da muralha não contava com guardas.

O diretor do Departamento do Sistema Penitenciário do Estado (Desipe), Carliomar Barros, informou que, das cinco guaritas, apenas três estavam “montadas”, ou seja, tinham um policial vigiando.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.