Publicidade
Manaus
Manaus

Falso policial civil é agredido dentro da cadeia pública por detentos

Fernando teve hematomas nas costas, braços e pernas. A agressão teria sido motivada após encontrar na prisão uma de suas vítimas de extorsão 14/01/2014 às 11:23
Show 1
Falso policial civil é agredido dentro da cadeia pública por detentos
Bruna Souza Manaus, AM

O detento Fernando Vieira Moura Júnior, 30, foi agredido possivelmente dentro da Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, na tarde de segunda-feira (14). Imagens enviadas aos veículos de comunicação mostram o presidiário com várias marcas e escoriações pelo corpo no que seria o pátio da unidade prisional. Ele foi preso no último sábado (11) após se apresentar como policial civil e extorquir vítimas com irregularidades em veículos.

De acordo com uma fonte, que teve o nome preservado, Fernando foi agredido pelos detentos após os mesmos ficarem de seu possível parentesco com um desembargador do Amazonas e também por se passar por policial civil. Uma segunda hipótese foi repassada pelos presidiários, de que o falso policial civil encontrou uma de suas vítimas de extorsão dentro da prisão. Um detento, que cumpre pena na unidade prisional, resolveu se vingar da armação e o agrediu com ajuda de outros presos.


Ele seria sobrinho do magistrado, que trabalhou em processos que levaram a condenação de alguns desses presidiários e em casos criminais de repercussão na cidade. Fernando teve hematomas nas costas, braços e pernas e foi encaminhado ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto por uma equipe da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus).

Após deixar a unidade de saúde, Fernando não retornará para o presídio segundo a assessoria da Sejus. Em pesquisa ao site do Tribunal de Justiça do Amazonas, o portal ACRITICA.COM constatou a expedição do alvará de soltura em nome do suspeito, concedido pelo juiz de direito Jaime Artur Santoro da 2ª Vara Criminal, ainda na tarde de segunda-feira e que deve ser cumprido assim que o mesmo receber alta.

Encontro com possível vítima na prisão

Ainda de acordo com a assessoria do órgão, todo detento antes de ser encaminhado a uma das unidades prisionais do Estado passa por uma entrevista, onde é questionado se o mesmo possuí algum “desafeto” dentro dos presídios.

Fernando não teria informado qualquer intriga com os presos durante este processo. A Sejus disse que recebeu informações de que ele teria sido agredido porque estaria devendo uma quantia em dinheiro para um dos detentos. Informações não oficiais dão conta que o dinheiro seria referente ao valor extorquido em uma abordagem usando a falsa identidade de policial civil.

Prisão

De acordo com o depoimento de vítimas a policia, Fernando se passava por investigador da Polícia Civil e abordava as vítimas onde as extorquia, ameaçando-as de prisão se caso não pagassem o valor proposto.  

Segundo um empresário, que não teve o nome revelado pela policia, Fernando teria cobrado o valor de R$ 2 mil para liberar um veículo, que apresentava irregularidades no Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Na ocasião, o mesmo informou ao suspeito que só possuía R$ 180 no momento da abordagem, mas que entregaria o restante do valor no sábado (dia da prisão de Fernando). A vítima acionou a polícia, que conseguiu prendê-lo em frente à Feira do Coroado – local marcado para efetuar o pagamento da propina.

Fernando foi agredido um dia após da entrada na unidade prisional coordenada pela Sejus. No site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), o suspeito já respondia outro processo por falsa identidade.

Ele havia sido preso em outubro do ano passado após se envolver em um acidente de trânsito na rua Manoel Urbano, no bairro Educandos, e afirmar aos policiais militares que era policial civil para se livrar da ocorrência. Foi levado ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foi liberado para responder pelo crime em liberdade.

Veja galeria de imagens sobre o caso aqui.

Publicidade
Publicidade