Publicidade
Manaus
Rodoviária de Manaus

Sem faixa, pedestres arriscam a vida em trechos da Djalma Batista, em Manaus

Para amenizar o problema, uma faixa de pedestres foi improvisada por moradores da região, mas por ser irregular foi apagada pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) 20/10/2016 às 05:00
Show faixa03
Placa colocada pelos moradores indica faixa que foi apagada. Foto: Euzivaldo Queiroz
Isabelle Valois Manaus (AM)

A falta de uma faixa de pedestres no final da avenida Djalma Batista, nas proximidades da rodoviária de Manaus, em Flores, Zona Centro-Sul, coloca em risco todos os dias milhares de pedestres que precisam cruzar uma das vias públicas de maior movimento de Manaus. Sair de um lado para o outro é um verdadeiro risco de vida, pois a disputa de espaço é feita com carros, ônibus e carretas de maneira incessante.  Para amenizar o problema, uma faixa de pedestres foi improvisada por moradores da região, mas por ser irregular foi apagada pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), que prometeu fazer um estudo para a implantação regular da faixa, mas até o momento nada aconteceu.

A dona de casa Raimunda de Fátima Veloza Gomes, 58, e o filho Ederlan Gomes de Abreu, 25, arriscavam-se, ontem, na travessia da morte, como foi batizada pelos moradores. Conforme Ederlan, eles estavam tentando trocar de lado da pista desde o aeroclube, mas como a via é mais larga, tiveram receio e decidiram tentar a travessia nas proximidades da rodoviária. “Isso é uma falta de respeito com o pedestre, não há um sinal e as passarelas são bem distantes. Nesse trecho até encontramos a placa de faixa, mas não há faixa, como faz para atravessar desse jeito? O jeito é arriscarmos, caso contrário, ninguém consegue sair do lugar”, disse Raimunda.

Ederlan decidiu acompanhar a mãe, pois sabia que ela teria dificuldades para atravessar naquele trecho. “Sempre que a mamãe precisar vir a rodoviária, nunca a deixo ir só. Sei dos risco, ela tem mais idade e as pessoas não respeitam. Para evitar qualquer peso na consciência,  prefiro acompanhá-la do que saber que minha mãe foi atropelada. Na hora a culpa será sempre do pedestre, mas ninguém olha para a situação da falta de sinalização e faixa de pedestre”, explicou.

Os moradores cansaram de pedir a instalação de uma faixa de pedestre, mas nunca tiveram retorno. Por conta disso, no início do mês a própria comunidade resolveu  pintar na via a faixa de pedestre.  De acordo com o comerciante, Marcelo de Souza, 43, eles fizeram a cota, compraram as tintas e pintaram a faixa.  “Semana passada, funcionários da prefeitura apareceram por aqui e a cobriram. Quantas vezes solicitamos e  nunca tivemos resposta? Precisa a sociedade agir para a prefeitura aparecer e ai apagar a faixa que fizemos. Vamos novamente pintar a faixa, pois esta região é perigosa. Quem tenta atravessar coloca a própria vida em risco”, comentou Ramos. O comerciante ainda contou que sempre ocorre acidentes nesta região.  Ele disse que, na última semana, uma senhora foi atropelada. “Não sei se ela sobreviveu, mas a batida foi feia”, disse Souza.

Passarela é ignorada em avenida

Enquanto o trecho da  avenida Djalma Batista, nas proximidades da rodoviária de Manaus, não possui local apropriado para a travessia de pedestres, na  frente da rodoviária pela avenida Mario Ipyranga há uma passarela, porém a população  opta por arriscar a vida atravessando entre  os carros, ônibus e caminhões.

O comportamento é comum, assim afirma o comerciante Marcelo de Souza, 43. “Acredito que a prefeitura deveria criar faixas de pedestre. Quando a pessoa vê a passarela desse jeito, mal estruturada, muitas vezes prefere arriscar a vida  correndo entre os carros do que a utilizar na travessia. Como não há sinais nessa mediação, muitos dos veículos passam em alta velocidade e o risco é sempre maior, mas como nada é feito a população se acostuma a viver assim”, disse.

Ainda em estudos
O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) confirmou que  apagou a faixa pintada irregularmente por uma pessoa não identificada. A  sinalização estava, conforme o órgão, fora dos padrões estabelecidos pelo Código de Trânsito Brasileiro e, por isso, oferecia risco à segurança de pedestres. O Manaustrans disse que está desenvolvendo estudos no local para verificar os ponto para reforçar a sinalização de alerta à travessia de pedestres.

Publicidade
Publicidade