Quarta-feira, 11 de Dezembro de 2019
REFORMA SUSTENTÁVEL

Família Carente tem casa totalmente reformada com materiais recicláveis em Manaus

O arquiteto Sérgio Santos voluntariamente realizou o sonho da cozinheira Lene da Costa, de reformar a sua casa no bairro Redenção



123_39638011-2D2E-407F-A238-6B8458C69218.JPG Foto: Winnetou Almeida
29/07/2019 às 19:44

Reformar a casa de uma família que vive em condições precárias com resíduos recicláveis e baixo custo. Assim foi a ideia do arquiteto Sérgio Santos que, voluntariamente, realizou o sonho da cozinheira Euderlene Lima da Costa, de 45 anos, moradora do beco Del Rei, no bairro Redenção, Zona Centro-Oeste de Manaus. A casa dela, de madeira, que comportava nove pessoas em três cômodos, foi totalmente reformada. O resultado do trabalho, que durou 14 dias e teve um custo de R$ 30 mil reais, foi revelado ontem, às 14h, como parte da programação da Virada Sustentável Manaus 2019.

Com lágrimas, Euderlene (ou Lene, como é mais conhecida no bairro) lembra que o piso da cozinha cedeu numa noite chuvosa. Estavam no cômodo Lene e a filha dela, de 19 anos. No incidente, um prego enferrujado quase trespassou o joelho da jovem. Já era um sinal de que a estrutura do imóvel desabaria sobre ela e os seus oito filhos a qualquer momento, uma constatação que deixou Lene desesperada.



“Ficou um buraco de lama no chão da minha cozinha. Passei a viver com medo desde então. Medo de que a casa desabasse sobre nós; medo de que um ladrão entrasse durante a noite. Não consegui mais dormir direito depois daquele dia. Isso já estava afetando a minha saúde”, recorda, enquanto as lágrimas insistem em descer. “Meu sonho era reformar essa casa e ter um lugar digno pra morar com os meus filhos, mas o dinheiro mal dava pro nosso sustento. A última reforma dessa casa quem fez foi meu pai em 1991”, lembra Lene, que mora na área há 40 anos.

Diante das dificuldades financeiras, Lene passou a trabalhar como artesã no Programa de Restauração Ecológica e Urbanização Sustentável na Amazônia (Reusa), um projeto que tem apoio da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e que visa gerar renda aos moradores da rua São Vicente de Paula e adjacentes, na Redenção, através de atividades de baixo custo (como artesanato feito de produtos recicláveis). É dessa atividade, mais a venda de bolos caseiros, que Lene vem conseguindo, a muito custo, sustentar a família.

Enquanto a casa estava sendo reformada, Lene os filhos moraram em uma quitinete alugada, próximo de onde vivem. Sobre voltar à casa onde sempre morou, completamente reformada como ela sonhou a vida toda, ela relata que mal conseguiu dormir de tanta ansiedade nos últimos dias. 

“No último dia 14 de junho, a dona Cristina [coordenadora do Reusa] convocou uma reunião de última hora e disse que eu não poderia faltar de jeito nenhum. Preparamos um café da manhã e tivemos um momento agradável. Ao final, o Sérgio [o arquiteto responsável pela reforma] revelou que a minha casa seria reformada como parte de um projeto de reconstrução de casas de forma sustentável”, lembra, emocionada.

Com a reforma, a casa de apenas três cômodos, passou a ter cinco – sala, cozinha, banheiro e três quartos (um para as duas filhas, outro para os meninos e um só para Lene) – mais uma área de serviço e um “puxadinho” em frente, onde Lene poderá abrir um lanche para ter mais uma fonte de renda.  Toda a parte elétrica foi trocada. As portas e as divisórias foram todas feitas de madeira reciclável, oriundas de resíduos descartados, em sua maioria, por empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM). Ao todo, 16 pessoas trabalharam arduamente na obra, entre marceneiros, eletricistas, pintores e pedreiros.

>>>Leia Mais: Após vencer depressão, artesã transforma realidade de ‘Rip Rap’ na Redenção

News guilherme 1674 2977771b 6b49 41af 859a ef3c3b62eae8
Repórter do caderno de Cidades - Jornal A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.