Domingo, 21 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Manaus

Família de policial militar morta acredita em assassinato

Deusiane Pinheiro morreu com um tiro na cabeça no Batalhão Ambiental do Tarumã. Familiares suspeitam de ex-namorado


02/04/2015 às 18:51

A Polícia Militar abriu, nesta quinta-feira (2), um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a morte da policial militar Deusiane da Silva Pinheiro, 26. Ela foi encontrada morta, com um tiro na cabeça, nas dependências da Companhia Fluvial do Batalhão Ambiental, localizado no bairro Tarumã, na Zona Oeste, nesta quarta-feira (1º).

A família da vítima acredita que a policial foi assassinada pelo ex-namorado, identificado apenas como “Elson”, que também é PM, e estava de serviço junto com a jovem na quarta-feira. 

A irmã de Deusiane, Cláudia da Silva Angelim, 34, afirmou que acredita no assassinato porque a vítima vinha sendo ameaçada pelo ex-namorado e a esposa dele. “Eles tinham um relacionamento mas ela não sabia que ele (o Elson) era casado. Só soubemos disso há poucos dias, quando ela foi buscar uma bolsa que havia esquecido na casa dele e se deparou com a mulher”, contou. Ainda de acordo com Cláudia, nesse dia, Deusiane teria sido agredida pela mulher, mesmo assim, não reagiu. 

Além disso, Deusiane também estaria recebendo constantes ameaças de morte por parte do casal, segundo a família. “Essa mulher chegou a dizer que sabia onde a nossa mãe trabalhava e que iria matá-la, caso ela não se afastasse do Elson”, disse a irmã mais velha. 

Questionada se a irmã sofria de depressão, Cláudia explicou que a policial não possuía nenhum transtorno psicológico e não fazia uso de medicamentos controlados. Mesmo assim, ela admitiu que nas últimas semanas, Deusiane estava muito abatida pelo término do relacionamento. “Quando ela soube que ele era casado, ela decidiu terminar, mas isso mexeu com ela”, falou. 

A mãe da vítima, Antônia Assunção da Silva, 49, muito emocionada, revelou também que a filha teria deixado um bilhete informando que se aparecesse morta, os responsáveis seriam o ex-namorado e a esposa dele. 

Velório

Vários amigos de Deusiane Pinheiro estiveram no velório da PM, durante todo o dia desta quinta-feira. Eles também não acreditam que em suicídio porque  ela seria uma pessoa que amava viver. “Ela era muito alegre, divertida e estudiosa. Não acredito que ela tenha feito isso”, disse Pablo Carvalho, amigo de faculdade de Deusiane. O corpo da Polícia Militar será enterrado na manhã desta sexta-feira (3), no Cemitério São João Batista, na Zona Centro-Sul.

publicidade
publicidade
Ataques simultâneos atingem igrejas e hotéis no Sri Lanka. Mortos já são 150
Ex-Flamengo, Junior Baiano fala sobre o atual momento do rubro-negro carioca
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.