Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
PROTESTO

Familiares e amigos de engenheiro morto pedem justiça em protesto

Faixa liberada da Ponta Negra foi cenário de gritos por justiça de mais de 100 pessoas que levavam mensagens de luto pela morte de Flávio Rodrigues dos Santos



2aec2427-e3c8-44c2-be37-c845ea3c3dc2_E4F16364-B742-4B8A-AFA4-4D0893DB93A1.jpg Foto: Divulgação/Familiares
09/10/2019 às 20:58

Familiares, amigos e conhecidos do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos realizaram, na noite desta quarta-feira (9), uma protesto no calçadão da Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus. Os manifestantes pediam justiça no caso do assassinato do engenheiro, que foi encontrado morto no dia 30 de setembro, após ter desaparecido da casa do filho da primeira-dama de Manaus, Alejandro Molina Valeiko.

O ponto de concentração do protesto, escolhido pelos manifestantes, foi a parada de ônibus que custou aos cofres municipais mais de R$ 200 mil para ser construída. Com gritos de justiça e mensagens de ‘O luto virou luta’ em faixas e camisas brancas, os participantes do protesto seguiram em caminhada pelo calçadão da Praia da Ponta Negra.



“Queremos o que toda a sociedade de bem quer, que é justiça para o Flávio. Todos que estão aqui se mobilizaram de forma espontânea, pedindo esclarecimento e que os fatos sejam apurados para que a verdade prevaleça”, destacou Camila Alves, uma das organizadoras do protesto.

Ao comentar sobre o depoimento de Mayc Parede, que assumiu a autoria do crime, Camila disse duvidar que só um tenha envolvimento com o caso. “Sabemos que não foi apenas um. Todos que estavam ali cometeram algum tipo de crime, portanto esperamos que a justiça apure e responsabilize cada um deles para que esse caso não fique impune”, completou.

Entenda o caso

 

O engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos foi encontrado morto após uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira-dama do município Elisabeth Valeiko. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO) feito por um dos colegas do engenheiro, José Edvandro Martins de Souza Júnior, a casa de Alejandro foi invadida por dois homens mascarados que sequestraram e mataram Flávio.

Conforme os depoimentos, os homens encapuzados seriam o sargento Eliseu da Paz, segurança do prefeito de Manaus e familiares, lotado na Casa Militar, e o lutador de MMA Mayc Vinicius Teixeira Parede. Em depoimento à polícia, da Paz disse que foi por conta própria verificar como estavam as coisas na casa de Alejandro e resolveu dar um susto no filho do patrão. Na terça-feira (8), Mayc assumiu ser um dos mascarados e que matou o engenheiro.

Estão presos suspeitos de envolvimento no caso Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira-dama e dono da casa onde o crime ocorreu; Elielton Magno de Menezes Gomes Júnior e José Edvandro Martins de Souza Júnior, que estavam na residência como convidados de Alejandro; Vitório Del Gato, cozinheiro do anfitrião; além do sargento e Mayc.

O grupo cumpre a prisão provisória por 30 dias, podendo ser prorrogada por mais 15, até a conclusão do inquérito policial. Parte está custodiada na carceragem do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e parte na DEHS.

 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.