Sábado, 28 de Março de 2020
DIREITO AO ENTERRO

Familiares lutam em busca do corpo de ex-presidiário desaparecido em Manaus

Um vídeo onde Fênix Maciel de Mendonça, 26, aparece sendo esquartejado deu à família do ex-presidiário a certeza de que ele está morto. Desaparecido desde o dia 6, a família busca agora o direito de poder fazer o enterro



9728a2be-04f0-4b20-80c6-99d8e0328751_9EB95572-B9DF-44C5-AF45-2844B7F36B12.jpg Foto: Divulgação/Arquivo pessoal
13/01/2020 às 19:15

Familiares do ex-presidiário Fênix Maciel de Mendonça, 26, fazem apelo para que a polícia os ajude a encontrar o seu corpo. A certeza de que o jovem está morto veio após eles terem visto um vídeo mostrando Fênix sendo mutilado e decapitado por seus algozes. “Nós queremos saber onde jogaram o corpo dele, para podermos dar um sepultamento digno para ele”, disse uma das tias que preferiu não se identificar.

Parentes do ex-presidiário acompanharam, no sábado (11), o desenterramento de dois corpos encontrados em um cemitério clandestino nas matas da reserva Adolpho Duque, Zona Norte. A esperança era que um dos corpos fosse de Fênix. De acordo com a tia, desde que ele desapareceu, no dia 6 deste mês, a família vem recebendo várias informações sobre possíveis locais onde o corpo estaria.



De acordo com familiares, Fênix estava preso por envolvimento por tráfico de droga e foi colocado em liberdade em julho do ano passado, quando passou a ser monitorado por meio de tornozeleira eletrônica. “Ele estava morando na casa da mãe dele, na rua Pau de Ferro, bairro Val Paraíso, na Zona Leste”, contou a tia.

Com a liberdade de ir e vir limitada, Fênix trabalhava de cabeleireiro em casa. Ele sumiu no dia 6 deste mês, à noite, mas a mãe só percebeu que ele não estava em casa pela manhã, quando passou a procurá-lo. Um irmão informou que Fênix saiu de casa depois de ter recebido um telefonema. A família acredita porque o chamado foi de alguém de perto.

Já são sete dias de buscas incansáveis, porém sem sucesso. Há informações que Fênix foi morto por integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN), por ter mudado para a facção Comando Vermelho e que o corpo estaria enterrado em um tribunal do crime, no bairro Val Paraíso.

Um vídeo com imagens fortes dele sendo torturado, esquartejado e morto circula pelas redes sociais, onde aparecem os criminosos decapitando ele e mostrando o seu rosto com os olhos furados, lábios deformados e sem a orelha. Enquanto esquartejam Fênix, seus captores riem de forma debochada, como se festejassem suas ações. A família identificou o rapaz pelo vídeo, e passou a procurar pelo corpo, não encontrado até hoje.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.