Publicidade
Manaus
Política, ALE/AM, Cotão, CEAP, Auxílio-paletó, Sefaz, Ricardo Nicolau, Wilson Lisboa, Adjuto Afonso, Conceição Sampaio, Ricardo Wendling, Francisco Souza, recesso parlamentar

Farra com cotão nas férias virou regra na Assembleia Legisltiva do Amazonas

Deputados estaduais gastaram nos últimos três recessos de início de ano mais de R$ 1 milhão da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap) 12/02/2013 às 10:16
Show 1
Durante o recesso parlamentar da ALE, que vai do final de dezembro ao início de fevereiro plenário da Casa não tem atividade
Lúcio Pinheiro Manaus

Nós últimos três recessos de início de ano, quando não há atividade na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), os 24 deputados estaduais gastaram R$ 1,1 milhão com a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap).

Apelidada de “cotão”, a Ceap é uma ajuda de custo destinada a bancar despesas dos parlamentares como passagens aéreas, telefonia, material de expediente, locação de imóveis e combustível.

Em janeiro deste ano, os deputados gastaram R$ 544,6 mil, conforme dados dos empenhos de despesas da ALE-AM, que constam no portal da transparência no site da Secretaria do Estado da Fazenda (Sefaz).

Em janeiro de 2011, dos R$ 346,4 mil a que tinham à disposição, os deputados gastaram R$ 266,3 mil. No mesmo período de 2012, os parlamentares podiam gastar, juntos, até 547,2 mil. Vinte deles usaram R$ 357,8 mil.

O valor total da Ceap utilizado em janeiro de 2011 só foi menor porque naquele ano cada deputado recebia por mês R$ 17 mil de Ceap. No ano seguinte, a verba aumentou para os R$ 22,8 mil mensais pagos atualmente.

Esse ano, o deputado Ricardo Nicolau (PSD) liderou em gastos com a cota no período de férias. Então presidente da ALE-AM no mês de janeiro, Nicolau utilizou R$ 97,2 mil da Ceap.

No recesso do ano passado, foi Wilson Lisboa (PCdoB) o parlamentar que menos economizou. O comunista informou à ALE-AM ter gastado em janeiro R$ 23,1 mil, R$ 361 a mais do que tinha direito naquele mês.

Em janeiro de 2011, Wilson Lisboa e o colega Adjuto Afonso (PP), gastaram toda a verba a que tinha direito naquele mês: R$ 17 mil.

No último mês de janeiro, apenas a deputada Conceição Sampaio (PP) e os deputados José Ricardo Wendling (PT) e Francisco Souza (PSC) não apresentaram gastos com o cotão, segundo o portal transparência da Sefaz.

No início de cada ano, a ALE-AM empenha R$ 273,6 mil para cada deputado. Esse valor corresponde à multiplicação de R$ 22,8 mil por 12 meses. O cotão consome por ano R$ 6,5 milhões do orçamento da Casa.

Além dos R$ 22,8 mil mensais de Ceap e R$ 20 mil de salário, os deputados estaduais recebem mais R$ 3,2 mil para pagar contas de telefone celular no final do mês, R$ 79 mil de verba de gabinete e R$ 40 mil de auxílio-paletó.

Márcio Silva: 4/jan/2012Durante recesso parlamentar da ALE, que vai do final de dezembro ao início de fevereiro plenário da Casa não tem atividade

Hotéis e comida
Sete deputados pediram, durante o mês de janeiro, ressarcimento da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) no valor de R$ 21,9 mil. Segundo o portal transparência da Sefaz, esse valor foi gasto com despesas com hospedagem, alimentação e diárias.

Defesa de gastos no recesso
Sempre no grupo dos deputados que usam toda a Ceap durante o recesso de início de ano, Adjuto Afonso defende os gastos. Segundo o parlamentar, janeiro não é mês de férias. “É o mês que eu deixo para visitar as bases”, afirmou Adjuto Afonso.

De acordo com o deputado, no recesso do início deste ano, ele viajou para Boca do Acre, Pauini e Lábrea. “Não viajei mais porque a verba não era suficiente. Recesso não é férias. Político não tem férias como outras pessoas. Tem recesso que você aproveita para visitar bases, obras de governo, para ouvir as comunidades. Como vai fazer isso? Usando a estrutura que a ALE-AM oferece”, afirmou o deputado estadual.

Adjuto foi eleito em 2010 com 28,3 mil votos. Destes, 17,6 mil foram conquistados no interior do Amazonas. Lábrea (5.124 votos), Boca do Acre (2.849 votos) e Pauini (1.974 votos) foram os municípios onde o parlamentar mais recebeu votos.

O deputado gastou em janeiro todos os R$ 22,8 mil a que tinha direito do cotão. “O eleitor não pode reunir um grupo de cem pessoas e vir à Manaus falar com o deputado. É o deputado que tem que ir até ele para ouvir as demandas. O deputado é um procurador do eleitor”, disse Adjuto Afonso.

Conceição Sampaio, Francisco Souza e José Ricardo, que nos último três anos não apresentam gastos durante o recesso de início de ano da ALE-AM, têm base eleitoral em Manaus.

Dos 35,5 mil votos que Conceição Sampaio recebeu em 2010, apenas 8,7 mil vieram do interior. Francisco Souza foi eleito com 14,5 mil votos em Manaus e 9,5 mil no interior. Dos três, José Ricardo foi o menos votado no interior do Estado (4,9 mil votos) e o de maior votação na capital (33,4 mil votos).


Publicidade
Publicidade