Terça-feira, 15 de Junho de 2021
Homenagens

Fechados há um ano, cemitérios de Manaus reabrem para o Dia das Mães

Por conta da pandemia do novo coronavírus, os dez cemitérios públicos de Manaus estavam fechados há um ano



WhatsApp_Image_2021-05-07_at_17.42.39_5BAD5CFB-B036-4BBD-AA5F-9AE19D2CA808.jpeg Foto: Iago Albuquerque
07/05/2021 às 18:00

Com a abertura dos cemitérios de Manaus, neste fim de semana do Dia das Mães, começando nesta sexta-feira (07), muitas pessoas aproveitaram para prestar homenagens aos seus entes queridos. Por conta da pandemia do novo coronavírus, os dez cemitérios públicos de Manaus estavam fechados há um ano. A movimentação começou pela manhã às 6h e continuará até às 20h.

Prefeitura de Manaus orientou que os visitantes usassem máscaras e seguissem o distanciamento social. Logo na entrada dos cemitérios São João Batista e Nossa Senhora de Aparecida (Tarumã), servidores estão disponibilizando álcool em gel e dando as orientações necessárias.



O Amazonas registrou desde o inicio da pandemia, 12.707 mortes pela Covid-19. Durante esse um ano com os cemitérios fechados, os enterros aconteciam com capacidade reduzida, muitas vezes sem poder contar com os familiares. Somente neste fim de semana, pessoas que perderam entes queridos, nesse período poderão prestar homenagens dignas.

O analista de marketing, Robson Sena enfrentou a Covid-19, no mesmo momento de sua esposa, sogra e mãe. A esposa se recuperou da doença, porém no período que estava internado, perdeu a mãe e sogra. Sem poder se despedir no momento do acontecimento, separou o dia de hoje para tal homenagem.

"A contaminação da minha mãe e sogra aconteceu muito rápido, eu e minha mulher estávamos internados, então não podemos nos despedir. Foi um luto silencioso, pois a ficha ainda não havia caído. Então, após 4 meses depois, eu pude me despedir, ter um momento mais intimo e foi como se ela tivesse sendo enterrada hoje", disse.

Foram disponibilizados 1.200 funcionários para estarem dando suporte nos dez cemitérios de Manaus, durante esses três dias. A equipe de reportagem de A Crítica visitou os cemitérios São João Batista e Nossa Senhora de Aparecida (Tarumã), no qual contavam com pequenas estruturas de ferro no local.

Apesar da forte chuva na tarde desta sexta-feira, as visitações não foram afetadas, muitas pessoas persistiram em ir ao local. Caso da autônoma, Kelly Campelo, 21, no qual perdeu seu pai e sua mãe, há 2 anos, e nunca havia passado tanto tempo sem visitá-los.

"Está aqui hoje é muito gratificante, pois passamos mais de um ano sem visitar nossos entes queridos. Querendo ou não, isso faz muito bem para gente, fazer esse gesto de amor e essas visitas é muito importante.

Falta de acessibilidade

Além das medidas de segurança contra a Covid-19, a Prefeitura de Manaus, proibiu a circulação de veículos dentro dos campos-santos. Porém a idéia não foi bem aceita pelos visitantes. A idosa, Maria Pereira, reclamou da iniciativa no Cemitério Nossa Senhora de Aparecida (Tarumã). "Isso é um descaso, inúmeros idosos estão aqui passando mal, a Prefeitura deveria ter pensando nisso ao organizar a reabertura, uma falta de respeito", completou.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.