Publicidade
Manaus
LAZER

Feira da av. Eduardo Ribeiro é opção para apaixonados por plantas decorativas

Além de dar vida aos quintais e varadas de residências, plantas servem como uma forma de terapia para quem frequenta a feira 19/02/2018 às 06:05
Show plantas
Foto: Winnetou Almeida
Álik Menezes Manaus (AM)

Além de dar vida aos quintais e varadas de residências, plantas servem como uma forma de terapia para amazonenses que frequentam a feira de artesanato da avenida Eduardo Ribeiro, realizada todos os domingos, no Centro Histórico de Manaus. Os apaixonados por plantas marcam presença nas barraquinhas não só para admirar a beleza das espécies amazônicas e exóticas.

A produtora e vendedora de plantas Lara Maria Souza dos Santos, 53, trabalha com o comércio de mudas decorativas há pouco mais de oito anos e contabiliza depoimentos de pessoas que venceram casos de ansiedade e até depressão após começarem a se dedicar às plantinhas. “É emocionante e faz nosso trabalho ter um significado a mais. Muitas pessoas chegam aqui e contam que estão melhor ou até já superaram de vez essas doenças. Eu fico muito feliz com isso”, disse.

Cacto: o queridinho

Entre os mais vendidos todos os domingos, os cactos se destacam. Segundo a comerciante, os clientes começaram a se apaixonar também por essa espécie, tanto que são vendidas em média 60 mudas por domingo. “É uma espécie muito bonita e que não requer muitos cuidados, cuidados mais especiais. É ótima para decoração de interiores, tem até o poder de deixar as pessoas mais felizes”, comentou.

Uma paixão

A cabeleireira Regina Santos, de 48 anos, é uma dessas apaixonadas por plantas. Ela nem se lembra mais há quantos anos compra plantas e nem quantas cultiva na casa dela. A paixão é tanta que nesse domingo (18) ela estava novamente na feirinha em busca de novas mudas, mas dessa vez não eram mais para enfeitar a casa dela. “Eu amo tanto ver essas plantinhas em vasinhos decorados. A minha casa já tem muitos, hoje minha missão aqui é levar algumas para colocar na frente do meu salão de beleza”, contou.
 
Por falar em missão, a estudante de promoção da saúde Glenda Buzaglo, 19, também tinha uma mais que especial. Ela foi em busca de uma orquídea para a mãe dela que mora em outro município. “Minha mãe é louca por flores, plantas, fruteiras, jardins. Aí por tabela eu acabei virando, mas a minha missão hoje aqui é comprar uma orquídea para ela e mandar lá para o interior. A casa dela é cheia, nós já perdemos as contas de quantas plantas e espécies ela tem”, disse a jovem. 

Samuel Souza, 35, e a esposa cultivam e vendem plantas há mais de oito anos. Segundo ele, a ideia surgiu após incentivo de uma tia, que já trabalhava com plantas. “A gente cuida lá no município de Rio Preto da Eva e vem para Manaus todo domingo para vender. Trabalhar com o que a gente ama é muito recompensador, você vê que os clientes compram porque amam mesmo cuidar de plantas”, contou. 

O amor também é o que motiva o fisioterapeuta Bruno Evangelista Campos, 25, que começou a cuidar e gostar de plantas ao conviver com a mãe. “Ela ama essas plantas. É incrível você ver um amor puro desses, eu zoava no início, quando era criança, mas a convivência com essa dedicação me fez começar a amar cuidar de plantas. Hoje é minha terapia, me faz sentir melhor quando estou triste”, relatou.

Tradicional

Há 18 anos, um pequeno grupo de artesãos e comerciantes começou a se reunir aos domingos na avenida Eduardo Ribeiro, no Centro da capital amazonense, para comercializar seus produtos. Hoje, a feira gastronômica e de artesantato conta com 280 permissionários.

LEIA MAIS

Plantas em casa? Conheça os benefícios de manter a natureza dentro do lar

Publicidade
Publicidade