Publicidade
Manaus
EM QUATRO MESES

Feiras da ADS contabilizam quase de R$ 3 milhões nos quatro meses de 2016

As feiras da ADS trabalham diretamente com produtores rurais da capital e do interior, envolvendo em torno de 290 cooperativas, associações, agroindústrias e produtores individuais 06/05/2016 às 08:00
Show dgjl
São mais de 2.500 famílias de produtores envolvidas na comercialização que acontece quinzenalmente em pontos fixos de Manaus (Fotos: Serpror)
acritica.com

Nos quatro primeiros meses de 2016, as quatro Feiras de Produtos Regionais da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), vinculada a Secretaria de Produção Rural (Sepror), já contabilizam R$ 2.799.180,90 em recursos movimentados e mais de meia tonelada de produtos regionais comercializados. As feiras da ADS trabalham diretamente com produtores rurais da capital e do interior, envolvendo em torno de 290 cooperativas, associações, agroindústrias e produtores individuais para um público de 1 milhão de  pessoas que visitaram as feiras. 

São mais de 2.500 famílias de produtores envolvidas na comercialização que acontece quinzenalmente em pontos fixos de Manaus. Neste sábado, dia 7, estarão funcionando as unidades do Cassam, na avenida General Rodrigo Otávio, s/nº, bairro São Lázaro, zona sul e, na Escola Estadual Júlio Cesar de Morais Passos, na avenida Max Teixeira, 1.041, bairro Cidade Nova, Zona Norte, das 6h às 12h. 

No sábado seguinte, dia 14, acontecerão as feiras na Agremiação de Subtenentes e Sargentos da Amazônia (ASA), na Avenida Coronel Teixeira (estrada da Ponta Negra); na sede do Comando Geral da Polícia Militar do Amazonas, na avenida Benjamin Constant, s/nº, bairro Petrópolis, zona sul; e na Cidade Nova, zona norte.

O secretário de produção rural Sidney Leite explica que, atendendo recomendações do governador José Melo, as feiras da ADS tem correspondido a proposta de estimular a agricultura familiar e impulsionar a economia no interior, principalmente em um momento de crise econômica que atravessa o Estado. “O produtor rural tem, nesses locais, um espaço para vender os produtos diretamente para o consumidor, eliminando a figura do atravessador. Além de melhorar a renda dos agricultores a feira possibilita ao consumidor um preço mais acessível em comparação às feiras convencionais da cidade”, disse.

 O agricultor Aluízio Pollmeier, que possui propriedade em Iranduba, ressalta que nas vendas no varejo o ganho dos produtores é maior. “A cada fim de semana obtemos um preço mais justo pela nossa produção, porque não temos atravessadores”, declarou o produtor, que antes de vender produtos na feira, entregava toda produção aos atravessadores na região da Manaus Moderna, no Centro. 

Feira da Aeronáutica 

A feira deste próximo sábado foi criada para atender os anseios dos moradores da zona sul e dos militares da Aeronáutica. O Governo do Amazonas lançou em 2012, a Feira da Economia Feminista e Solidária de Produtos Regionais do Amazonas, no pátio do Clube dos Suboficiais e Sargentos da Aeronáutica (Cassam), no bairro mSão Lázaro, zona sul. O espaço é resultado de um convênio entre Governo do Estado e Ministério da Pesca e Aquicultura e o 7º Comando Aéreo Regional (7º Comar). 

A Feira da Aeronáutica em 2016 obteve R$ 715 mil, em recursos movimentados, entre os anos de 2012 e primeiro quadrimestre de 2016, comercializou acima de R$ 10 milhões de recursos, 2.826 quilos de produtos, oriundos de 81 cooperativas, associações e produtores do interior do Estado, e recebeu mais de 280 mil visitantes e beneficiou 3.400 famílias.

Produtos mais baratos

As feiras da ADS funcionam desde 2008 com a comercialização de hortifrutigranjeiro, laticínios, artesanato, peixes, carnes e outros produtos regionais. Com esse instrumento de política governamental, os produtores têm apoio para vender seus produtos – com maiores ganhos, qualidade e preços mais baixos.

Em um comparativo de preços realizado quinzenalmente entre os produtos vendidos nas feiras da ADS, feiras convencionais e supermercados, o preço do hortifrutigranjeiro chega até 50% mais barato na ADS. A mesma regra se aplica para as frutas. A banana, por exemplo, varia de R$ 2,50 na ADS para R$ 3,50 no supermercado.

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade