Publicidade
Manaus
comércio local

Feiras livres de Manaus 'esbanjam' sujeira e desorganização

Estruturas danificadas, sujeira, esgoto correndo a céu aberto e desorganização são problemas recorrentes. Moradores do entorno são a favor desse tipo de comércio, mas desde que tenha higiene 23/06/2016 às 21:33 - Atualizado em 23/06/2016 às 21:51
Isabelle Valois Manaus (AM)

A situação física das feiras de Manaus não é nada boa para um local que comercializa produtos para o consumo humano, assim como também a venda de peixes expostos na rua. Nesta quinta-feira (23), A Crítica visitou algumas feiras da cidade e constatou a real situação daquele comércio. Os próprios permissionários buscam mais condições de trabalho. Teias de aranhas, paredes sujas, escamas de peixe no chão, esgotos abertos, telhado quebrado, são só algumas das condições encontradas.

Para quem vê a feira como visitante, não imagina que por trás a situação é realmente preocupante. Como exemplo, na feira conhecida como feira do Mutirão, Zona Norte, há um problema sério de higiene e até de risco. Restos de verduras que não tem mais consumo são jogados ao chão, a feira possui iluminação elétrica de forma clandestina e com fiações onde o fios são cobertos por teias de aranha ou quando não estão "descapelados". As lonas estão sujas e algumas barracas que tem cobertura, as telhas estão quebradas.

Para a dona de casa Maria das Graças Oliveira Rocha, 53, a feira por um lado é bom para comunidade, porém há situações mais preocupantes como a falta de higiene e o risco que a feira comunitárias de alguma forma apresenta para os comunitários, tudo por causa da maioria das bancas ocuparem as calçadas e boa parte da via.

“Pedestre aqui não tem vez, precisa disputar espaço com os carros e nada é feito. Tão esperando que tenha um acidente ou algo mais grave para resolver a situação do Mutirão. Fora o risco que tem por causa da ligação clandestina que os feirantes realizam nas barracas. Qualquer problema o um curto, queima tudo”, comentou Oliveira.

A situação também se repete em outras feiras, no caso da feira conhecida como Barcelos, Centro, os feirantes apresentam os produtos de uma forma atrativa, porém por trás a situação é totalmente sem higiene.

Na feira da Barcelos, a reportagem flagrou peixes sendo tratados na sarjeta. A moradora da via onde a feira é instalada, Etelvina Siqueira, 58, disse que em frente da casa onde mora, quando termina a feira, precisa toda vez lavar, pois é coberto de escamas de peixes.

“Esses feirantes não tem lixeira, quando chega a noite a rua está totalmente suja e com um odor horrível. Acredito que é necessário ficar acompanhando todo os procedimentos e até mesmo realizar uma ação de reeducação aos vendedores para manter a higiene”, disse.

Fiscalização

A Secretaria Municipal de Feiras, Mercados, Produção e Abastecimento (Sempab) informou que tem feito apreensões de mercadorias irregulares para o consumo e tem alertado a população para não comprar esse tipos de alimentos.

Publicidade
Publicidade