Publicidade
Manaus
SEMANA DA PÁTRIA

Feriado prolongado movimenta saídas de Manaus com destino a outros municípios

Ontem, motoristas aguardavam até 4 horas na fila de balsas do Porto da Ceasa. Mais de 14 mil pessoas já deixaram a capital por meio do transporte intermunicipal 06/09/2018 às 03:12 - Atualizado em 06/09/2018 às 09:02
Show onibus ca0857e6 621b 42c5 b057 6b93dfa7d753
Rodoviária de Manaus registrou grande fluxo nesta quarta-feira (5) (Foto: Gilson Melo/Freelancer)
Silane Souza Manaus (AM)

Roçar o sítio, pescar no rio, visitar familiares ou, ainda, curtir um festival de música. Estes são alguns dos motivos que levam o morador de Manaus a deixar a cidade neste feriado prolongado da Elevação do Amazonas à Categoria de Província e da Independência do Brasil, comemorados nos dias 5 e 7 deste mês, respectivamente. Ontem, começo do feriadão, milhares de pessoas saíram da capital com destino aos municípios da Região Metropolitana (RMM).

No Porto da Ceasa, Zona Sul, que dá acesso a BR-319 (Manaus-Porto Velho), motoristas esperaram até cinco horas para fazer a travessia. Nas barreiras de fiscalização da Torquato Tapajós, Zona Norte, que dá acesso às rodovias AM-010 (Manaus-Itacoatiara) e BR-174 (Manaus-Boa Vista), a na ponte sobre o rio Negro, Zona Oeste, que dá acesso a AM-070 (Manaus-Manacapuru), o fluxo foi mais tranquilo, mas deve ficar intenso a partir desta sexta-feira.

“Na quinta-feira, os bancos e o comércio da cidade funcionam normalmente então muita gente ainda trabalha e não pode viajar no meio da semana. Isso não acontece na sexta-feira, tendo em vista o feriado da Independência. Portanto, com certeza, a partir de sexta de manhã cedo, as estradas no entorno de Manaus vão ficar muito movimentadas”, disse a sargento Telma Pereira, do Batalhão de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar (BPTran).

O motorista Raimundo Altamiro, 60, a esposa dele, Mirian Silva, 56, e o neto do casal, Pedrinho, 6, resolveram sair de Manaus ontem. Eles chegaram 5h e até 9h30 ainda estavam na fila do Porto da Ceasa, mas garantiram que a espera vale a pena. “Depois que atravessamos o rio e chegamos onde queremos, todo o estresse vai embora. Nada melhor do que passar uns dias longe dos problemas, sem nos preocupar com nada, só relaxando mesmo”, afirmou Raimundo.


Fluxo na barreira da av. Torquato Tapajós deve ficar intenso na sexta-feira (Foto: Gilson Mello/Freelancer)

O casal estava indo para o terreno da família, localizado no Mamuri, com acesso pela BR-319, e pretende volta só na tarde de domingo. Lá, segundo Mirian, o feriado será bem aproveitado pelos três integrantes da família. “A casa fica as margens do rio, vamos pescar, comer peixe fresco e cuidar do terreno também, roçar o mato. Ou seja, vamos fazer coisas diferentes do dia a dia e num lugar tranquilo, longe da grande movimentação da cidade”, afirmou.

O trabalhador da área de logística Frank Medeiros, 46, também chegou 5h no Porto da Ceasa e após esperar 4 horas e meia entrou na balsa para fazer a travessia. Para ele, a espera agora não é tão grande como alguns anos atrás. “Cheguei a ficar na fila uma vez de 5h até às 14h. Se já valia a pena antes, agora vale mais ainda. A recompensa é maravilhosa. Vamos passar esses cinco dias em total tranquilidade e relaxamento”, comentou.

A cozinheira Socorro Almeida, 52, escolheu curtir o feriado em Itacoatiara, onde este fim de semana acontece o 33º Festival da Canção (Fecani). De acordo com ela, quer aproveitar o máximo possível os dias sem trabalho. “Não é sempre que consigo tantos dias de folga então quando isso acontece aproveito para sair de casa, conhecer lugares novos e descansar. Já criei meus filhos mesmo, sou separada, é hora de cuidar de mim agora”, declarou.

A dona de casa Nazaré Oliveira, 61, e a neta Adama, 12, optaram em passar o feriadão em Manacapuru. Conforme Nazaré, as duas vão ficar até domingo na cidade. “Vamos para a casa de uma das minhas filhas. Também estamos planejando ir a um sítio de uma amiga minha, que fica próximo de um rio. Esperamos dias de muita descontração e lazer com a família e amigos”, ressaltou a dona de casa. Adama, por sua vez, revelou que não vê a hora de tomar banho no rio.

Balsas operam até o fim do feriadão

De acordo com a autarquia que administra o Porto da Ceasa, todas as sete balsas operarão até o fim do feriadão para atender a demanda. Ontem, a saída das balsas estava sendo feita em intervalo de 50 a 60 minutos. Até às 9h30 havia sido feitas 13 travessias, a primeira ocorreu por volta de 3h45. Uma média de 500 veículos saiu da cidade no período.

Gratuidade para idosos e crianças até 10 anos

Para quem utiliza o transporte intermunicipal, com amparo na resolução n° 002/2009 e no artigo 25 de Lei estadual 2006/2005, algumas pessoas têm direito à gratuidade. Entre elas estão os idosos maiores de 60 anos, pessoas com deficiência física, auditiva, visual e mental, crianças de até 10 anos de idade (devidamente acompanhadas de responsáveis), pessoas aposentadas por invalidez, policiais civis, militares e agentes penitenciários em serviço, e alunos da rede escolar oficial (devidamente uniformizados e identificados) durante o período letivo.

Mais de 14 mil já deixaram a capital


Motorista esperou mais de 4h na fila do Porto da Ceasa, em Manaus (Foto: Gilson Mello/Freelancer)

De segunda-feira até às 13h de ontem, mais de 14,3 mil pessoas tinham deixado Manaus por meio do transporte intermunicipal, de acordo com a Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Amazonas (Arsam). A previsão do órgão é que, ao todo, em torno de 50 mil pessoas utilizem esse serviço nesta semana do Amazonas e da Pátria, com os feriados da Elevação do Amazonas à Categoria de Província e da Independência do Brasil, comemorados nos dias 5 e 7 deste mês, respectivamente.

A Arsam realiza, desde o último dia 3, a Operação Semana da Pátria. Os 50 fiscais da autarquia atuam em regime de plantão em diversos pontos de entrada e saída da capital, como a Rodoviária Huascar Angelim e Ponte Rio Negro, além das rodovias estadual AM-010 (Manaus–Itacoatiara) e federal BR-174 (Manaus-Boa Vista), com as fiscalizações volantes. Os fiscais da agência também estão presentes em Itacoatiara (a 272 quilômetros da capital), onde acontece o tradicional Festival da Canção (Fecani).

Segundo a Arsam, além da intensificação da fiscalização, dependendo da demanda, ônibus extras podem ser colocados pelas empresas para circular em horários diferenciados. A previsão da autarquia é que o destino mais procurado seja Itacoatiara, cidade conhecida como “Pedra Pintada” que, entre esta quarta-feira e sábado, promove o Fecani.

A Arsam fiscaliza os serviços prestados aos passageiros que utilizam ônibus intermunicipais, bem como o serviço de fretamento eventual, por meio de micro-ônibus, táxis e vans, que devem ser previamente autorizados pelo órgão regulador. A Operação Semana da Pátria é realizada pelo órgão em parceria com o Batalhão de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar (BPTran), Polícia Civil, Polícia Federal, Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

Publicidade
Publicidade