Publicidade
Manaus
Novidade

Detran-AM vai inaugurar módulos para fiscalizar vias de trânsito pesado em Manaus

Sem os corujinhas da Prefeitura, em até 15 dias o departamento irá disponibilizar módulos de fiscalização 22/11/2016 às 05:00 - Atualizado em 22/11/2016 às 14:29
Show 736122
Os radares foram retirados das principais vias de Manaus em abril de 2015 (Foto: Antonio Lima)
Isabelle Valois Manaus (AM)

O diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-Am), Leonel Feitoza, informou que, em até  15 dias, a cidade irá ganhar módulos de fiscalização contínuos – cabines com fiscais que irão monitorar as ruas e avenidas  24h.

Para de início imediato nesta semana, o primeiro local a ganhar o módulo será no ponto de fiscalização na ponte sobre o rio Negro. A ideia, conforme Leonel Feitoza, será também  implantar os módulos nas vias  antigamente  monitoradas por fiscalização eletrônica de velocidade (corujinhas).

“Acreditamos que nos próximos 15 dias, todas as vias que eram monitoradas pelos radares estarão com os módulos de fiscalização. Este será um meio de estarmos presentes nessas vias onde  há um número alto de acidentes e são mais movimentadas”, explicou Leonel. “Para que isso ocorra o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (Batran) estará nos auxiliando como vem fazendo nas demais operações realizadas pelo Detran”, completou.

Para o diretor-presidente do Detran, essa será uma forma de assegurar a segurança nessas vias que estão há mais de um ano e meio sem a fiscalização eletrônica. “Essas vias serão monitoradas 24 horas por nossa equipe com o apoio do Batram. Acreditamos que com a nossa presença contínua, será mais fácil de inibir as irregularidades e diminuir o número de acidentes e vítimas fatais no transito”, disse Leonel Feitoza.

Radares

Manaus é a única capital do País que não possui a fiscalização eletrônica de velocidade. Os radares foram retirados em abril de 2015, quando o contrato com a empresa paulista Consladel, responsável pelos radares de fiscalização eletrônica de velocidade, foi  denunciado pelo Centro de Apoio Operacional de Inteligência, Investigação e de Combate ao Crime Organizado (Cao-Crimo) do Ministério Público Estadual (MPE) por ter sido firmado de maneira viciada.
 
Em maio de 2015, a prefeitura abriu uma nova licitação, que foi suspensa dias depois, a partir da representação da empresa Splice Indústria, Comércio e Serviços Ltda., que alegou ilegalidades e restrição ao caráter competitivo do certame.

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) informou que o processo de licitação dos radares ainda está sob avaliação do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O tribunal por sua vez  reforça que o processo em questão foi suspenso no período licitatório por apresentar irregularidades no edital, entre elas as especificações técnicas feitas quanto ao radar portátil.

O TCE solicitou ao instituto um novo edital para que fosse feitos os ajustes necessário enquanto a licitação dos radares móveis. Conforme o tribunal, ao apresentar o novo edital, o processo foi encaminhado para o setor técnico e ao Ministério Público de Contas, onde identificou impropriedades e notificou diversas vezes o Manaustrans para reajustar o certame. 

O tribunal informou que com as mudanças decorrentes na presidência do TCE, o processo foi distribuído para o conselheiro Josué Filho, que voltou a notificar o órgão ainda este ano para ajustar o certame. Houve a nova apresentação do edital e em outubro foi remetido para o gabinete do conselheiro Josué Filho para manifestação e voto. Após isso, o processo deve ser levado para julgamento no pleno que decidirá se liberará o certame ou se cancelará.

Números mostram redução

Quando comparados os números de vítimas lesionadas e fatais de acidente de trânsito nos meses de janeiro até setembro de 2015 e 2016,  houve uma redução nas notificaçãos. De acordo com o diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), Leonel Feitoza, a redução é devida ao aumento de fiscalização conjunta. 

Os dados do Detran mostram que quando comparados os dados de vítimas lesionadas registrados nos meses de janeiro a setembro de 2015 e 2016 houve uma de 31%, enquanto em 2015 foram registrados 6.799 casos, no mesmo período em 2016 houve 4.705 casos. No caso das vítimas fatais, houve uma redução de 13%.

Feitoza informou que além da “Lei Seca” e demais campanhas realizadas durante o ano, as fiscalizações nas vias como Torquato Tapajós, Ephigênio Salles, Turismo e nas demais vias onde haviam os radares tem colaborado com essa redução.

“O Detran precisou adotar providências para inibir o aumento de velocidades e também o aumento do número de registros de acidentes nas vias onde estavam instalados os radares. Reforçamos a fiscalização e com isso estamos conseguindo inibir o aumento do índice de acidentes e de vítimas fatais no trânsito. Claro que se tivéssemos os radares, estaríamos em outros pontos estratégicos da cidade e a redução dos dados seria algo mais representativo”, explicou.  

Feitoza informou que o Detran possui  radares móveis próprios que são utilizados nas fiscalizações. Por meio delas é que o Detran tem conseguido inibir as irregularidades de velocidade no trânsito, como também com a Lei Seca. Conforme ele, mais de 900 autuações são expedidas durante um final de semana de fiscalização. “Como se diz o ditado popular: As pessoas sentem a dor no bolso”, comentou o diretor-presidente do órgão.

Publicidade
Publicidade