Publicidade
Manaus
Manaus

Fisioterapeuta é roubada durante enterro de amiga no cemitério do Tarumã

Frequentadora do cemitério do Tarumã, que teve o carro arrombado e R$ 9 mil furtados durante enterro, denuncia ‘esquema’ 19/10/2013 às 13:59
Show 1
Segundo a fisioterapeuta Maria Borges, os furtos ocorrem durante os enterros
Adriano Silva ---

A fisioterapeuta Maria do Socorro da Silva Borges, 48, teve o veículo violado no estacionamento do Cemitério Parque de Manaus, Tarumã, zona Oeste, e furtada a quantia de R$ 9 mil, a bolsa com todos os documentos e o telefone celular.

Segundo informações de Socorro, o furto aconteceu por voltadas 11h30 de domingo (13), quando ela esteve no cemitério para o enterro de uma amiga.

“Já vamos ao cemitério com o sentimento de tristeza pela perda de alguém que gostamos e quando volto pro meu carro me deparo com essa situação, é muito complicado”, disse.

Socorro informou que registrou a ocorrência no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), e que a bolsa com os documentos dela foi encontrada na terça-feira (15), no conjunto Flamanal, pois existe uma via de acesso para pedestre que liga ao Cemitério Nossa Senhora de Fátima, por onde possivelmente os suspeitos do furto fugiram.

Socorro disse também que, na mesma hora, foi até a administração do cemitério comunicar o ocorrido, sendo informada por um funcionário, que este tipo de delito é “normal” e frequente. “O funcionário do cemitério ainda vem me dizer que isso é normal acontecer e que uma quadrilha estaria agindo no local. Alguém precisa fazer alguma coisa, quem vai pagar meu prejuízo? Vou entrar com uma ação contra o cemitério, alguém precisa ser responsabilizado”, declarou.

A fisioterapeuta informou que visitava o cemitério com uma certa frequência, mas depois do ocorrido, vai evitar ir ao local. “Costumava ir sempre ao cemitério, fazer minhas orações, mas depois desse dia e tudo isso que estou passando, vou evitar voltar lá. O Dia de Finados está chegando, quem vai dar segurança às milhares de pessoas que visitam o cemitério”, questionou.

O administrador do Cemitério Parque de Manaus, Iomar Silva Júnior informou que tomou conhecimento do fato e disse também, que fica impossibilitado de fazer melhorias na segurança, pois o local é publico e o acesso é livre a qualquer pessoa.

“Temos um outro cemitério aqui dentro e temos somente uma entrada de acesso, fica difícil controlar quem entra e quem sai. Temos o auxilio do ronda nos bairros que entra aqui algumas vezes por dia”, disse.

 

Publicidade
Publicidade