Publicidade
Manaus
Manaus

Flutuantes são opções de lazer para a população no período de vazante do Rio Negro

Situados principalmente na região do Cacau-Pirêra, em Iranduba, locais atraem centenas de banhistas nos fins de semana. Proprietários contam que sucesso se deve ao bom atendimento e segurança proporcionados aos clientes 22/09/2014 às 08:26
Show 1
Frequentadores do flutuante Aquatikus pagam R$ 10 pelo transporte até o local por meio de lanchas
ACYANE DO VALLE Manaus (AM)

Os flutuantes localizados no outro lado do rio Negro, no Iranduba (a 27 quilômetros da capital) na região do Cacau-Pirêra, se tornaram uma das opções de lazer mais procuradas pelos manauenses nesta época do ano por conta da vazante mais lenta do Rio Negro e pela pequena quantidade de praias.

Com apenas R$ 10 - valor para ida e volta até o flutuante mais próximo, saindo do porto da Manaus Moderna, o indivíduo pode atravessar o rio e desfrutar de uma bela paisagem, tendo, de um lado, a orla da capital, e do outro, a exuberância da floresta amazônica, enquanto toma banho no rio. Os flutuantes não cobram a entrada, somente o que for consumido.

O barqueiro Plínio Carneiro, também conhecido como “Japonês”, disse que a procura é maior no domingo, mas também os flutuantes têm sido escolhidos como lazer do sábado e da segunda-feira. Além das voadeiras (barcos pequenos), embarcações maiores também param nesses locais. No último domingo (21), o Aquatikus, localizado na região do Iranduba, estava lotado. O proprietário Melkizedeck Lima Nascimento, 56, disse que começou o empreendimento há 16 anos e a procura é tanta que já está construindo mais um flutuante, onde haverá barraquinhas para os frequentadores, adaptando a mesma ideia usada nas praias brasileiras.

Somente no domingo, o flutuante utiliza 4 toneladas de gelo e os frequentadores saem dos portos da Panair, Manaus Moderna e São Raimundo. Para a garotada, o empresário construiu uma piscina telada dentro do rio. “O movimento aumenta muito quando o rio está cheio e não tem tanta praia ainda”, explicou. O lixo produzido, segundo Melkizedeck, é ensacado e levado para Manaus, e as latinhas de cerveja e refrigerantes são vendidas.

O fretista José da Silva Pimentel, 43, afirmou preferir o flutuante como lazer do que praias tradicionais de Manaus. “Aqui, temos mais segurança do que na Ponta Negra”, comentou. Frequentador do Flutuante Amarelinho da Ilha do Cacau-Pirêra, disse que além da tranquilidade do local, ainda tem a vista da Ponte do Rio Negro. “Aqui, é tranquilo, pode trazer a família, a gente não precisa ficar preocupado com assalto e, na área de banhista do flutuante, ainda tem salva-vidas”, acrescentou.

Atrações

Além dos flutuantes, bares e shoppings também são procurados no fim de semana pela população e Manaus. Para o contador Carlos Antunes, unir boa música, cerveja gelada e amigos é a sua opção de lazer no sábado à tarde e, para isso, não dispensa a ida a um dos locais mais conhecidos de Manaus – o bar Caldeira, na esquina das ruas José Clemente com Lobo D´Almada, no Centro da cidade, Zona Sul.

“Eu venho aqui, principalmente, por causa da música. Eles tocam chorinho. Fujo do calor e ainda esqueço um pouco dos números”, comentou contador.

Os shoppings continuam atraindo outra faixa etária da população, sobretudo os mais jovens. Para os pais, cada vez mais, há uma outra motivação – a segurança dos filhos. Com a onda de violência e assaltos na cidade, muitas famílias têm preferido os shoppings com medo de assaltos. “Manaus está muito violenta e o shopping nos dá uma sensação maior de segurança”, explicou a autônoma Carla Andrea Lima.

Publicidade
Publicidade