Domingo, 21 de Julho de 2019
Manaus

Foragido do Compaj é assassinado

O detento, conhecido como ‘Pezão’, estava foragido desde março. Ele foi morto enquanto tentava assaltar na Zona Centro-Oeste de Manaus



1.gif Imagem de Joilson Pereira Noia, preso em 2008 por assalto seguido de morte a uma lan house no conjunto Beija-Flor
05/07/2013 às 10:50

O assaltante e homicida Joilson Pereira Nóia, o “Pezâo”, foi executado com vários tiros na noite de quarta-feira (03), na rua da Paz, bairro Nova Esperança, Zona Centro-Oeste, quando tentava assaltar a motocicleta de um homem não identificado. Pezão é um dos 42 presos que fugiram do sistema fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no Km 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), no dia 2 de março.

O corpo do criminoso foi reconhecido nesta quinta-feira (04) à tarde por familiares que foram ao Instituto Médico legal (IML). Até o final da tarde desta quinta-feira, a polícia ainda não tinha informações sobre a autoria do crime. Segundo informações da polícia, Pezão foi assassinado por volta das 20h. Ele foi alvejado com vários tiros e chegou a tentar fugir, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Moradores da rua Independência, próxima ao local do crime, contaram que Pezão chegou ao local em um carro preto de placas não identificada que ficou estacionado na esquina das ruas Q com a Independência. Ele desceu do carro acompanhado por dois homens. Os três foram a pé em direção à pizzaria Elshadai, onde havia um cliente que estava saindo em sua motocicleta. Eles anunciaram o assalto e obrigaram a vítima a entregar a chave e os documentos do veículo.

No momento em que Pezão saía levando a motocicleta, ou outro homem, que estava em um carro vermelho e seria um policial, atirou contra o assaltante por várias vezes. Os ladrões saíram correndo e Pezão não resistiu aos tiros. O corpo foi recolhido pela polícia e levado para o Instituto Médico legal (IML).

De acordo com informações policiais, Pezão era um criminoso de alta periculosidade. Ele respondia por três homicídios: o da mulher Rute Moraes de Lima, 44, ocorrido em 1988, no conjunto D. Pedro II, quando ela chegava em casa; a do adolescente Kerlan da Silva Peixoto,  em uma lan house no conjunto Beija Flor; e do assaltante Abraão G. de Matos, no bairro Nova Floresta, também em 2008.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.