Publicidade
Manaus
Manaus

Forças Armadas realizam simulação de defesa em termelétrica de Manaus

‘Operação Amazônia 2014’ reuniu as três Forças Armadas para aprimorar ações conjuntas no atendimento à comunidade e proteção a estruturas estratégicas 18/10/2014 às 09:32
Show 1
Lanchas velozes da Marinha fazem a interceptação de mergulhadores inimigos
Perla Soares Manaus (AM)

As Forças Armadas simularam, na manhã desta sexta-feira (18), procedimentos de defesa em uma estrutura estratégica de Manaus, a usina termoelétrica Mauá 3, localizada no bairro do Mauzinho, Zona Leste. A usina é responsável pelo fornecimento de cerca de 50% da energia da capital amazonense e uma eventual interrupção em seus serviços causaria danos à população.

Batizada de Vip Day da “Operação Amazônia 2014”, os exercícios de ontem simulavam operações no cenário amazônico com adestramento conjunto de unidades militares da Aeronáutica, Marinha e Exército, sob coordenação do Ministério da Defesa. Conforme o Comandante Militar da Amazônia, Guilherme Cals Theóphilo Gaspar de Oliveira, o treinamento visava aprimorar operações conjuntas das três forças com a execução de ações mais aplicadas na Região Norte, principalmente no atendimento à comunidade.

“A Amazônia é muito importante para nós, esse exercício é para dar uma demonstração de que hoje nós não sofremos ameaças. Mas cabe aos militares a responsabilidade de estar prontos para, em caso de um possível ataque, dar uma resposta à Nação. E os militares fizeram aqui uma pequena demonstração do que pode ser feito”, disse.

O exercício militar simulou a defesa de uma estrutura estratégica e relevante para a população, com o ataque a uma estrutura essencial, como a usina Mauá. Inicialmente foi simulado um ataque noturno de mergulhadores que foram bloqueados pelos militares de defesa. Depois foi simulado um ataque aéreo e a resposta dada com o uso de radares instalados na usina. “Tudo feito para passar aos civis a sensação de segurança que os militares conseguem dar ao seu País”, afirmou Gaspar Oliveira.

De acordo com o comandante do 9º Distrito Naval, Vice-Almirante Domingos Sávio Almeida Nogueira, treinamentos desta natureza são importantes para a consolidação da doutrina e emprego de trabalhos interligados entre as Forças. Nelas há, segundo o almirante, a confirmação e os ajustes dos procedimentos. Ainda de acordo com o comandante, as operações são realizadas onde as ações de proteção de estruturas críticas, como estações de energia e barreiras, são essenciais. Com a simulação, continua Domingos Sávio, ocorre o adestramento da tropa e o planejamento de operação.

Salvamento

Apesar de ser um treinamento, os procedimentos podem ser executados em situações reais. “Estamos com navios espalhados por diversos pontos da Amazônia, nos rios Japurá , Negro e na foz do rio Branco. De repente uma criança em Maraã, em Japurá, necessita urgente de um atendimento médico que não existe na região, um dos nossos helicópteros da operação recolhe essa criança e leva para Tefé. Essa criança tem um atendimento e a a vida dela é salva”, afirmou o almirante Domingos Sávio.

Publicidade
Publicidade