Publicidade
Manaus
transtornos

Forte chuva em Manaus causa alagamentos e derruba muro de creche

Zona Sul foi uma das áreas mais afetadas, com alagamentos no São Lázaro e na Manaus 2000; desabamento de muro não deixou feridos 13/01/2017 às 12:08 - Atualizado em 13/01/2017 às 13:20
acritica.com Manaus (AM)

O muro de uma creche da Polícia Militar, localizada no bairro Petrópolis, na Zona Sul de Manaus, desabou com as fortes chuvas que atingem Manaus na manhã desta sexta-feira (13). De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, houve apenas danos materiais. 

Até o meio-dia de hoje, conforme dados da Estação Automática do Instituto Nacional de Meteorologia em Manaus, foram registrados 50mm de chuva, sendo que 39mm somente entre as 11h e o meio-dia. Entre 10h e 11h, foram registrados 9,6mm.

Um dos pontos mais atingidos pela forte chuva do último dia 27 de dezembro, o Igarapé do 40, também na Zona Sul, voltou a ser afetado pelo intenso volume das águas. O igarapé transbordou e os moradores do local temem consequências mais graves caso a força das águas persista.

Foto: Clóvis Miranda

Na avenida Manaus 2000, no Igarapé do 40, a chuva gerou uma verdadeira correnteza na via, impedindo que carros trafeguem no local. Comércios da área foram invadidos pela água. 

Alheios às consequências à saúde, um grupo de crianças e adolescentes simplesmente mergulhou nas águas do igarapé completamente poluído. Em dezembro, médicos alertaram para os riscos que esta prática pode causar, principalmente às crianças. 

Um alagamento foi registrado no beco São Lucas, bairro São Lázaro, na Zona Sul de Manaus. “Alagou tudo. Toda vez que chove alaga aqui. A rua toda. Encheu a rua, as casas. O bueiro entupiu e não tem como escorrer”, disse Suzete Maria, dona de casa.

Foto: Aguilar Abecassis

Também foi registrado alagamento na rua A-17, no conjunto 31 de Março, bairro Japiim 2, Zona Sul de Manaus. “Os bueiros estão todos entupidos no Japiim, e devido a chuva transbordou e alagou tudo. Deu uma alagação na rua, desceu tudo”, disse o morador Jeferson Coelho de Oliveira.

Distrito Industrial

Na comunidade da Sharp, no Distrito Industrial, zona Leste de Manaus, moradores também se depararam com ruas alagadas e casas invadidas pelas águas. Preparado com óculos de mergulho e traje de banho, o técnico em manutenção Thiago Pereira, 24, aproveitou que voltava do treino de natação para ajudar os vizinhos a retirarem objetos de dentro de suas casas. Nadador profissional, ele mora na rua CCE e afirmou que a situação no local é a mais crítica da comunidade da Sharp. 

"A minha casa não alagou porque era a mais alta, mas quem mora no alagado sofre toda vez com isso", diz ele.

Foto: Aguilar Abecassis

De acordo com os moradores, o principal problema da localidade é a falta de bueiros. Com isso, toda vez que chove, a água não tem para onde escoar e os alagamentos são registrados. Moradores de ruas como Orient, Moto Honda, CCE e outras relataram que os problemas são constantes e falta ação da Prefeitura de Manaus para melhorar a situação. 

Ocorrências

Até o momento foram registradas 07 ocorrências. Dessas, quatro alagamentos (Rua 01, Petrópolis, Rua Canumã, Petrópolis, Rua 32 Japiim e Rua Guálter Batista, Petrópolis); Um risco de desabamento de muro na Rua Irapuru, 19, Japiim; Dois deslizamentos de barrancos (Rua 15 de Janeiro, Mauazinho e Rua Presidente Kennedy, Parque Mauá). Sem registro de vítima lesionada.

Publicidade
Publicidade