Publicidade
Manaus
Manaus

Francisco Cruz é escolhido o novo Secretário de Inteligência do Amazonas nesta quinta (18)

Thomaz Vasconcelos Dias ocupava a função há quase dez anos e perdeu o posto em meio à onda de assaltos em série - inclusive ao banco a metros das sedes da Prefeitura e Governo - que tomou conta de Manaus nos últimos dias 18/09/2014 às 14:48
Show 1
Francisco Cruz ocupou por duas vezes o cargo de Procurador-Geral de Justiça do Estado. Entre suas ações à frente do cargo esteve o pedido de encarceramento do prefeito de Coari, Adail Pinheiro
acritica.com Manaus (AM)

O procurador-geral de Justiça do Ministério Público do Estado (MPE/AM), Francisco Cruz, que deixa o cargo dentro de alguns dias, assumirá a Secretaria de Inteligência em substituição a Thomaz Vasconcelos Dias.

O delegado de Polícia Civil perdeu o status de “homem forte” do governo do Estado na manhã desta quarta-feira (17). Ele foi dispensado do cargo de secretário de Inteligência pelo governador José Melo. Thomaz ocupava a função há quase dez anos e perdeu o posto em meio à onda de assaltos em série, inclusive a bancos, que tomou conta de Manaus nos últimos dias.

Embora seja cauteloso quanto à nomeação, que já foi enviada ao MPE mas está sob análise, Francisco acredita que o ato foi uma “demonstração de respeito pelo trabalho do Ministério Público, e um reconhecimento à postura da instituição na promoção da justiça e no atendimento rigoroso à população”.

Questionado sobre futuros projetos à frente da pasta, Cruz afirmou que pretende fortalecer a estrutura da Seai. “Veja bem, quando a secretaria foi concebida, você tinha um cenário criminal específico daquela época. Hoje o cenário cresceu, envolve outros estados, assumiu dimensões nacionais. Então, assim como a polícia do Amazonas foi ampliada, através de programas como o Ronda no Bairro, é preciso também aumentar a presença da Inteligência do estado, pra garantir uma presença efetiva na prevenção da atividade criminal”, explicou.

Perfil

Francisco das Chagas Santiago Cruz ingressou no Ministério Público em julho de 1985. Ele já atuou nas Comarcas de São Gabriel da Cachoeira, Santa Izabel do Rio Negro, Humaitá e Parintins. É titular da 21ª Procuradoria de Justiça, com assento junto às Câmaras Reunidas do Tribunal de Justiça.

Membro do Conselho Superior do Ministério Público eleito pela classe. Foi indicado em eleição direta para compor o Conselho Nacional de Justiça. Figurou três vezes na lista tríplice, sendo as duas últimas em primeiro lugar, para o cargo de Procurador-Geral de Justiça, que exerceu nos biênios 2011-2012 e 2013-2014. Entre suas ações à frente do cargo esteve a ordem que resultou na prisão do prefeito de Coari, Adail Pinheiro, acusado de exploração sexual de menores e malversação de recursos públicos, no início desse ano.

Exerceu os cargos de Procurador-Geral adjunto de Manaus, de Secretário Executivo de Justiça, Direitos Humanos e coordenador do Sistema Penitenciário Estadual.

Publicidade
Publicidade