Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
frei.JPG
publicidade
publicidade

PERDÃO

Frei promete perdoar ladrões que roubaram mais de R$ 6 mil da Igreja de São Sebastião

Há duas condições para o perdão: o arrependimento e a devolução dos bens roubados no feriado de Corpus Christi. Frei Paulo também disse que, se os bandidos contarem o caso no confessionário, não serão revelados pela igreja


02/06/2018 às 06:00

O frei Paulo Xavier da Igreja de São Sebastião, localizada no Largo de São Sebastião, em um dos principais pontos turísticos no Centro da capital, prometeu perdão aos criminosos que invadiram, na madrugada da última quinta-feira (31), o espaço religioso e levaram mais de R$ 6 mil em dinheiro e objetos sagrados, caso se arrependam e devolvam o que levaram. “Se Jesus perdoou o ladrão por que eu não perdoaria? ”, disse o religioso.

Além do perdão, o pároco disse que se os suspeitos confessarem o caso no confessionário, as identidades não serão reveladas pela igreja. O religioso faz um apelo para que, pelo menos, o ostensório banhado a ouro e avaliado em mais de R$ 5 mil seja devolvido. A peça, segundo o frei, é um objeto antigo, dos anos 50, e que faz parte da igreja de São Sebastião.

Segundo o pároco Paulo Xavier, o ostensório é um dispositivo que faz parte da eucaristia. É nessa peça que é colocada a hóstia consagrada que representa o corpo de Cristo. “É nele que o corpo de Cristo é levado para as ruas durante as procissões e também é usado durante a missa”, explicou o frei.

Ataque no feriado santo

O crime aconteceu na madrugada da última quinta-feira, no feriado Corpus Christi, quando criminosos escalaram as paredes e entraram na igreja por uma das janelas laterais. Um carteiro, que preferiu não se identificar, disse que diariamente entrega correspondências no local e que chegou a se emocionar ao ver a igreja arrombada. 

Segundo a liderança da igreja, os bandidos conseguiram levar R$ 1,4 mil referente as ofertas dos fiéis, um ostensório banhado a ouro avaliado em mais R$ 5 mil, além de um cheque.

Conforme o religioso, os suspeitos usaram uma barra de ferro com as pontas achatadas, semelhante a um pé-de-cabra, para arrombar a grade da janela e depois abrir as portas de salas, dos corredores, dos armários e de dois cofres onde os fiéis depositam sua ofertas. Eles também defecaram em uma das escadas da igreja e deixaram o local totalmente revirado.

Cotação

A administração da paróquia providenciou, nessa sexta-feira (1º), uma cotação de preços com empresas de segurança eletrônica para ver se há possibilidade de instalar câmeras de seguranças no local para inibir a ação de criminosos. 

O caso foi registrado inicialmente no 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Praça 14, na Zona Sul, no entanto, foi encaminhado para a Delegacia Especializada e Roubos e Furtos e Defraudações (DERFD), no bairro Alvorada, na Zona Centro-Oeste, para proceder com as investigações.

No dia do crime, peritos do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) estiveram na igreja para coletar informações. Imagens de câmeras de segurança de duas lojas serão requisitadas, já que a câmera do Centro Integrado de Operações Policiais (CIOPS), instalada no poste de iluminação pública entre as ruas Tapajós e 10 de Julho está desligada.

Investigação

O secretário de Segurança Pública, Anésio Paiva, afirmou que assim que tomou conhecimento do arrombamento acionou o tenente coronel Auzier, comandante da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), e determinou que as investigações fossem presididas pelo delegado da  Delegacia Especializada em Roubos Furtos e Defraudações (DERFD),  Adriano Félix.

Até essa sexta-feira, a polícia não possuía informações sobre os criminosos que invadiram a igreja de São Sebastião.

publicidade
publicidade
Bandidos invadem e assaltam Igreja de São Sebastião no feriado de Corpus Christi
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.