Segunda-feira, 11 de Novembro de 2019
LAZER

Frequentadores reclamam do mau cheiro presente na praia da Ponta Negra

Vazamento das fossas sépticas segue incomodando frequentadores do principal balneário público da cidade



ponta_negra.JPG Situação das fossas é conhecida do Implurb, que fez testes em amostras da água e diz que nada de grave existe nela. Foto: Evandro Seixas
15/07/2017 às 05:00

Mau cheiro e sujeira têm prejudicado a diversão de alguns banhistas que frequentam a praia do complexo turístico da Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus. Incomodados com a situação e assustados com possível risco de contaminação, eles frequentam a praia com um pé atrás e muito cuidado.

No local é evidente a falta de manutenção nas zonas em que estão instaladas as fossas sépticas e os reservatórios que compreendem o sistema de tratamento de esgoto dos banheiros públicos do balneário e que ficam muito próximos à margem do rio Negro.



Para o assistente administrativo Raimundo Souza, 32, que levou a família até  praia, a chuva de ontem piorou a situação dos esgotos e o mau cheiro. Segundo Raimundo, um líquido estranho estava derramando dos reservatórios e indo para a água.

“Estava correndo pela areia quando percebi algo estranho e fedorento. Quando começou a chover, todos que estavam perto foram embora, o odor estava forte e chegava até o rio, o que eu acho muito perigoso, inclusive, para as crianças que brincam por aqui”, contou.

O estudante Lucas Andrade, 19, conta que a situação é preocupante para a saúde geral dos banhistas porque alguém pode contrair doenças transmitidas pela água contaminada, principalmente as doenças de pele. “O mau cheiro por aqui é normal. Isso, infelizmente, é um problema de toda a cidade, ruas e até aqui na praia. Para quem visita os balneários, por exemplo, é comum ter que lidar com a sujeira vinda de esgotos e correr risco de contaminação”, disse.

De acordo com  outro banhista, que não quis se identificar, as impurezas que vazam dos esgotos vão direto para o rio e grande quantidade de lixo é retirada perto dos encanamentos. “Tem esgoto que apresenta brecha e o resíduo acaba indo para praia. Quando o rio aumenta de volume, fica tudo perto da escada, quando diminui, o lixo fica visível na areia e todos tomam banho mesmo assim”, disse.

Implurb

Agentes do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) estiveram no local e contaram que nenhuma queixa foi registrada e que o esgoto, na verdade, é um sistema para captação de água pluvial, porém, quando chove, acontece de, eventualmente, alagar o local e alguns líquidos descerem até o rio. De acordo com o órgão, foi realizada a coleta de material, porém, nada grave foi detectado nas amostras.

Mais problemas

Além do odor, é comum ver copos descartáveis e embalagens de comida espalhados pela faixa de areia da praia. Outro problema relatado pelos banhistas diz respeito as linhas de ônibus que são poucas e não dão conta da demanda nos fins de semana.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.