Terça-feira, 23 de Julho de 2019
Nuvem escura

Fumaça registrada em Manaus é oriunda de queimadas, conforme dados do Inmet

Com a temperatura nas alturas, a cidade amanheceu com uma fina camada de nuvem escura originada de incêndios



87470e1e-0832-4841-a1d1-06f84edd9e0a.jpg O forte calor propicia a propagação de queimadas urbanas e florestais (Foto: Clovis Miranda)
21/10/2016 às 10:33

A cidade de Manaus amanheceu nesta sexta-feira (21) com uma fina camada de nuvem escura originada de incêndios, conforme informou o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Com a temperatura nas alturas, o forte calor propicia a propagação de queimadas urbanas e florestais.

“Segundo reportado pelo observador meteorológico da Rede de Meteorologia da Aeronáutica (Redemet), houve fumaça provavelmente oriunda de queimadas entre as 6h e 8h no aeroporto de Ponta Pelada, na Zona Sul da capital”, declarou o meteorologista Gustavo Ribeiro, do Inmet.

Segundo Gustavo Ribeiro, assim como aconteceu no ano passado, quando a capital passou vários dias encoberta por nebulosidade originada de queimadas nos meses de setembro, outubro e novembro, a probabilidade de haver mais ondas de fumaça depende da ocorrência de outros casos de incêndios urbanos e florestais, mas pode ser inibida pela chuva

“Caso haja ‘focos de queimadas’, sim pode haver mais fumaça. Isso depende das queimadas provocadas pelo homem, e não da meteorologia. Mas se chover, dificulta a ocorrência de queimadas e por consequência a presença de fumaça”, explicou Gustavo.

Recorde de queimadas

No ano de 2015, houve recorde de focos de incêndios no Amazonas, mais de 11 mil registrados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Com isso, não só Manaus como também outras cidades no interior do Estado sofreram com a aparição de nuvens de fumaça por várias semanas e meses.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.