Publicidade
Manaus
Manaus

Funcionário é agredido com socos na Afeam

O suspeito da agressão é um gerente administrativo do órgão. A vítima está internada em uma unidade da Unimed Manaus e passará por procedimento cirúrgico de reconstrução facial 09/08/2013 às 13:56
Show 1
A vítima foi encaminhada para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto com suspeitas de fratura no crânio
VINICIUS LEAL ---

É estável o estado de saúde do técnico de fomento Raimundo de Castro Barros, 56, funcionário da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) que foi agredido com socos e pontapés no rosto durante a manhã desta quinta (8) na sede da agência, na Zona Centro-Sul da capital. O acusado de ser o agressor é o gerente administrativo, Paulo Henrique Bianco de Andrade. A vítima está internada em uma unidade da Unimed Manaus e passará por procedimento cirúrgico de reconstrução facial.

Com dores e inchaços por toda a face e apontando para as manchas de sangue pela calça e camisa rasgada, Raimundo relatou ao ACRITICA.COM como tudo ocorreu. “Eu passei ao lado dele e não falei, quando ele puxou minha camisa por trás e me arrastou pro chão, atingindo o meu rosto com socos e pontapés”, disse. Segundo ele, o gerente administrativo Paulo Henrique o persegue dentro da casa de fomento. Os funcionários da agência impediram uma lesão corporal maior ao separarem os dois.

A vítima conta que, ainda ensangüentada, foi registrar a ocorrência na delegacia e que policiais militares da 12ª Companhia Interativa de Polícia (Cicom) foram até a sede da Afeam à procura do agressor, mas ele não foi encontrado. “Eles fizeram uma busca dentro da agência, mas ele já tinha fugido”, disse.

Após exames de tomografia e raio-x realizados no Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, foram detectadas quatro fraturas no maxilar superior de Raimundo, que foi encaminhado para o HPS João Lúcio, onde há uma central especializada em fraturas no crânio, e em seguida ao Instituto Médico Legal (IML), onde fez exame de corpo de delito.

“Não apareceu ninguém da Afeam para prestar assistência”, reclama a vítima. De acordo com ele, o motivo da agressão teria sido a raiva que Paulo Henrique sentia de Raimundo após esse ter feito um boletim de ocorrência contra o gerente administrativo no último mês de abril. “Um dia ele me chamou na sala dele, trancou a porta e me acusou de furtar cópias de processos para levar ao Ministério Público. Eu não fiz isso. Então fiz uma queixa contra ele por calúnia. Eu acredito que ele temia alguma coisa para me acusar assim”, relata Raimundo, que já não mantinha contato direto com Paulo Henrique desde então. De acordo com a vítima, Paulo Henrique ainda tentou, junto ao setor de recursos humanos, afastá-lo do trabalho.

O caso foi registrado no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e, segundo policiais civis, o crime foi tipificado como lesão corporal por meio de um termo circunstanciado de ocorrência (TCO). Conforme a polícia, o gerente Paulo Henrique será notificado a comparecer na delegacia durante uma audiência para dar a versão dele sobre os fatos, com data não informada. Depoimentos das duas partes e das testemunhas serão colhidos e o laudo do IML será utilizado nos autos do processo, que deverá ser encaminhado ao Juizado Especial Criminal.

Publicidade
Publicidade