Publicidade
Manaus
CIRURGIA

Fundador de ONG de educação sustentável do AM passa por transplante de pulmão

Ativista e fundador da Oficina Escola de Lutheria da Amazônia (OELA), Rubens Gomes, realizou procedimento em Porto Alegre após aguardar nove meses em lista do SUS 16/11/2018 às 19:34 - Atualizado em 17/11/2018 às 08:44
Show zcid0417 01f 24d43fb0 9ddf 4bd1 a25d db6c0a0b203c
Foto: Divulgação
Karol Rocha Manaus (AM)

O ativista e fundador da Oficina Escola de Lutheria da Amazônia (OELA), Rubens Gomes, realizou ontem, a cirurgia de transplante de pulmão bilateral (TPB) em Porto Alegre. Rubão, como é conhecido pelos alunos e amigos, aguardava há nove meses na lista de espera pelo órgão no Sistema Único de Saúde (SUS).

“Durante a madrugada surgiu à possibilidade da doação de um órgão vindo de Santa Catarina e já iniciaram toda a preparação com ele durante a madrugada. A equipe veio, realizou todos os exames e, diante dos cenários favoráveis, por conta das 10h30 eles confirmaram que o órgão estava bom. Às 11h ele entrou no bloco cirúrgico e ao meio dia os dois pulmões chegaram e iniciou a cirurgia”, conta Jéssica Freitas, esposa do ativista. “Graça a Deus, foi um sucesso a cirurgia de transplante de pulmão bilateral realizado pelo doutor José Camargo, pioneiro no transplante de pulmão na América Latina. Estou muito feliz”, acrescenta ela.

Antes da cirurgia do implante, Rubão precisava do ECMO que fornece oxigênio ao pulmão e serviria como sobrevida enquanto ele aguardava o órgão. No dia 13 de novembro, Jéssica iniciou a sensibilização nas redes sociais com o intuito de arrecadar uma quantia para o pagamento da aplicação do ECMO.

Até o dia 15 eles já haviam arrecadado R$ 57 mil, o que tornou possível  a instalação do oxigênio para o pulmão ainda no mesmo dia. Agora, as arrecadações ajudam nos custos do pós-operatório do ativista.

Rubens Gomes possui fibrose pulmonar idiopática há quatro anos. Em 2016, enquanto ele desenvolvia um trabalho na foz do rio Amazonas no meio de intensa queimada, teve pneumonia o que agravou seu estado de saúde. O ativista e fundador do Oela realiza todo o acompanhamento em Porto Alegre, onde reside há um ano por conta da doença.

“Manaus não tem tratamento para doença de pulmão, e aqui é referência na América Latina. Essa tinha sido a primeira internação dele, o que ele fazia era a reabilitação pulmonar e o acompanhamento com a equipe daqui”, explica ela sobre o agravamento da doença.

Jéssica Freitas disse que tem recebido muitas mensagens de positividade e agora, além da comemoração do transplante, a preparação é para o pós operatório.

“Mais que as doações, peço que a corrente de amor e oração continue, temos recebido muitas mensagem bonitas de alunos, amigos, pessoas que conviveram com ele”, disse ela.

Jéssica ressaltou também sobre os projetos futuros do marido após recuperação. “É uma vontade do Rubens montar um centro de referência no OELA com uma equipe multidisciplinar com o intuito de ajudar às pessoas a buscarem o tratamento para doenças pulmonares, de que forma, como e onde”, acrescenta ainda.

Instituição existe há 20 anos

A Oficina Escola de Lutheria da Amazônia (OELA)  é uma entidade de direito privado sem fins lucrativos (ONG), que desenvolve ações de educação para sociedades sustentáveis.

A instituição instalada no bairro Zumbi dos Palmares, Zona Leste, possui 20 anos de existência com um número expressivo de mais de 20 mil alunos atendidos.

O primeiro projeto da OELA foi a lutheria, conseguinte abrangeu os cursos de informática básica e avançada, desenho artístico, inglês, assistente administrativo, contabilidade básica, empreendedorismo, reforço escolar, alfabetização de adultos, preparação para o mercado de varejo, bem como os projetos de apoio sócial.

Ajuda

Doações para Rubão podem ser depositadas no Banco Itaú, Oficina Escola de Lutheria da Amazônia, CNPJ 03.470.157/0001-79, agência 0071, conta 46281-6. O comprovante de depósito pode ser enviado para o whatsapp de Jéssica Freitas no (92) 99433-4596.

Publicidade
Publicidade