Domingo, 22 de Setembro de 2019
PERSEVERANÇA

Gari que tem sonho de viver da música viraliza após 'palhinha' na hora do almoço

Jarley Ribeiro assumiu o posto há quatro meses, após várias tentativas de fazer carreira na área musical. "Me sinto honrado por ser lixeiro", diz ele, sem abandonar o sonho



23/07/2017 às 06:38

O gari Jarley Ribeiro, 33, explodiu a Internet ao ter publicado um video dele cantando a música “Sabor ao Vento”, do cantor Pablo, numa rede social, em um intervalo de 15 minutos para o almoço. Em quatro dias, a postagem feita pelo grupo Muazinho Cultural atingiu grande repercussão e, até a última sexta-feira, já contava com mais de 462 mil visualizações.

O gari revela que trabalha na função há quatro meses, após várias tentativas de fazer carreira na área musical. Quem fez o vídeo foi um jovem que frequenta o local onde Jarley trabalha. “Me sinto honrado por ser lixeiro. Durante três anos vivi da música e não deu certo. Eu não esperava que isso acontecesse. De início, fiquei nervoso, mas depois me senti muito feliz com a reação positiva das pessoas”, diz Jarley.

Em 2010, ele participou do “Programa Ídolos”, na Rede Record, e passou nas eliminatórias, mas não permaneceu na competição por falta de patrocínio. “Não tinha condições de me sustentar em São Paulo. Frustrado, voltei para Manaus e participei do Festival de Músicas do Amazonas como compositor e intérprete, onde cheguei a conquistar um sétimo lugar”, conta o cantor.

O coletor de lixo nasceu na comunidade Santa Rita de Cássia, no Município de Urucará ( a 281 quilômetros de Manaus) e tem paixão pela música desde criança. “Minha primeira apresentação foi em uma festa de Urucará. Tive que fugir do alcance da minha mãe para me apresentar. Ela acreditava que isso me afastaria da igreja. Quando ela descobriu e foi me procurar já era tarde, já estava me apresentando no palco”, lembrou, divertindo-se.

Atualmente, o principal problema de Jarley é conseguir espaço em eventos e casas de shows. “O artista iniciante tem poucas opções e o cachê é bem baixo. Eu comecei a me apresentar em alguns lugares de Manaus, mas não consegui manter minha família. Foi quando eu precisei desistir”, lamenta.

O varredor de rua ressalta que fez algumas aulas de canto no passado. No entanto, teve que se distanciar de sonho por falta de recursos. “Aprendi técnicas de respiração, controle de voz e como aperfeiçoar os agudos. Eu consegui pagar um mês de aulas de canto. Infelizmente, foi tudo que eu consegui cobrir financeiramente até abandonar o curso”, descreve.

“Colhendo frutos”Após a repercussão do vídeo, Jarley foi convidado a cantar em um festival realizado na quadra do colégio “Antônio Carioca”, no bairro Mauazinho, Zona Leste, no próximo dia 11. O evento contará com a presença do cantor Guto Lima, também conhecido como o “Rei do Arrocha”.Márcio SilvaCom mais de 460 mil visualizações, vídeo do gari-cantor Jarley Ribeiro, publicado na semana passada, dá novo alento para a carreira musical dele, que teve como ponto alto uma participação no programa Ídolos, da Rede Record, em 2010.

Sucesso é apelo emocional

Para o especialista em mídias digitais e doutorando em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais Danilo Egle, vídeos como os do gari Jarley Ribeiro, fazem sucesso porque tem apelo ao emocional no público. “O que torna algo viral é a quantidade extraordinária de pessoas que se manifestam, seja por identificação ou crítica. Talvez, as pessoas tenham gostado da música ou do talento vindo de uma pessoa que trabalha debaixo de sol. Ninguém vê isso todos os dias”, explica.

Conforme aponta Egle, não é possível saber o que faz um vídeo “viralizar” na internet, pois acontece de forma espontânea e consumidos por pessoas de diferentes idades e classe social. “Esse tipo de conteúdo surge a todo o momento, a partir de uma circunstância impossível de prever. Uma das características é o marketing, mas, geralmente, não são produtos pensados. As pessoas repassam e acaba alcançando um grande público”, afirma Danilo Egle.

CuidadosDe acordo com o especialista, é preciso ter prudência ao divulgar imagens de outras pessoas na Internet. Para ele, o consumo e produção de informação serão mais frequentes nas próximas gerações, resultado de uma cultura em que a informação se espalha de maneira imediata nos meios digitais. “Nem tudo é certo e errado, mas todos são responsáveis por aquilo que publicam na rede. De maneira geral, qualquer conteúdo, seja ele viral ou não, deve ser tratado com muito cuidado, pois pode provocar reações diversas nos indivíduos que tem cenas da vida pessoal divulgadas”, adverte.

Enquanto a ciência não explica o sucesso deste tipo de conteúdo, Jarlei Ribeiro não sabe se vai aproveitar esse novo canal para produzir novos vídeos cantando outros sucessos. De concreto, apenas que vai seguir trabalhando como gari.

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.