Publicidade
Manaus
Manaus

Garoto de 12 anos é detido por estuprar primo de 2, em Manaus

Primo mais velho levou criança para dentro de quarto, trancou a porta e cometeu estupro. A irmã, de 17 anos, percebeu tudo e avisou a mãe 25/09/2014 às 12:22
Show 1
Garoto de 12 anos foi levado para delegacia do menor infrator
VINICIUS LEAL Manaus (AM)

Um garoto de 12 anos foi apreendido pela polícia, na Zona Norte de Manaus, suspeito de estuprar o primo dele, de 2 anos de idade. A criança estava aos cuidados das irmãs mais velhas, adolescentes, que limpavam a casa quando o incidente aconteceu. O garoto suspeito do crime teria levado o mais novo para dentro de um quarto, trancado a porta e cometido o estupro.

O caso aconteceu na quarta-feira (24), na casa da criança de 2 anos, no bairro Alfredo Nascimento, Zona Norte de Manaus. A mãe da vítima, de 34 anos, havia saído para trabalhar e deixou as filhas cuidando do filho menor e dos afazeres domésticos. O suspeito, que mora na casa ao lado e é vizinho, entrou na residência e passou a brincar com o primo menor.

Uma das filhas, de 17 anos, lavava roupa quando percebeu o silêncio na casa e o sumiço dos dois menores. Ela viu que a porta de um dos quartos estava trancada e ordenou para que abrissem e saíssem de lá. Conforme relato da adolescente à polícia, a criança de 2 anos já saiu do quarto acusando o primo mais velho de ter cometido ato libidinoso contra ele.

Segundo a vítima, o primo mais velho teria introduzido parte do pênis dele no ânus da criança de 2 anos. A mãe do menino foi acionada e ligou para a polícia. Policiais militares da 13ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram ao local e levaram o garoto de 12 anos à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), já que é menor de idade.

A criança de 2 anos foi conduzida ao Instituto Médico Legal (IML) e um exame constatou o estupro. O garoto de 12 anos disse que o primo menor quem teria tocado nas partes íntimas dele e por isso colocou o pênis no menino. O primo mais velho foi apreendido por estupro de vulnerável e ficará à disposição da Deaai, onde passará por medidas socioeducativas.

*Com informações da repórter Girlene Medeiros

Publicidade
Publicidade