Publicidade
Manaus
Manaus

Genro e sogro torturados e mortos em porta-malas de carro tinham ‘dívida’ de R$ 50 mil com tráfico

Oito traficantes se vingaram matando vítimas, que haviam roubado R$ 50 mil em 10 kg cocaína e que eram acostumadas a “arrochar” droga de outros. Eles invadiram casa, sequestraram, mataram e fariam “desova” de sogro e genro 10/11/2014 às 16:04
Show 1
Três deles foram presos em flagrante no momento que fariam “desova” dos corpos. Outros cinco conseguiram fugir
VINICIUS LEAL Manaus (AM)

O roubo de uma mercadoria de 10 quilos de cocaína avaliada em R$ 50 mil foi o motivo para dois homens, sogro e genro, serem sequestrados, torturados e assassinados em Manaus, neste domingo (9). Três homens foram presos em flagrante transportando os corpos das vítimas dentro de um porta-malas de um carro, mas a polícia procura por mais suspeitos.

Leonardo Almeida de Souza, 22, Marcos Henrique Neves de Lima, 28, e Tiale Ferreira da Silva, 30, foram apresentados pela Polícia Civil, nesta segunda-feira (10), como suspeitos de envolvimento na morte de Carlos Alberto de Souza Paco, 43 anos, o “Careca”, e Leandro Pereira de Aguiar, 26, sogro e genro, respectivamente.

Conforme a polícia, no sábado (8), as vítimas roubaram de um barco no porto da Manaus Moderna um carregamento com 10 quilos de cocaína pertencentes à quadrilha de traficantes formada por Leonardo, Marcos, Tiale e outros. A droga, que provavelmente foi trazida de Tabatinga, na fronteira com Colômbia, Peru e Bolícia, estava avaliada em R$ 50 mil.

Para tentar reaver a droga roubada, um grupo formado por oito homens invadiu a casa de “Careca” e de Leandro, no bairro Jardim Mauá, Zona Leste, com a intenção de cobrar a devolução do material ou dinheiro que pagasse pelo valor da droga. Após um desentendimento, eles sequestraram as vítimas, torturaram e depois mataram.

Os corpos estavam sendo transportados por Leonardo, Marcos e Tiale no veículo Peugeot de cor preta e placas JXN-8011, e em outro carro estavam mais cinco envolvidos. Todos estavam a caminho de um local para “desovar” os corpos, ou seja, descarregar as vítimas, provavelmente um matagal ou área verde no bairro Puraquequara ou Mauazinho, Zona Leste.

Policiais militares 25ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) receberam denúncia de que um carro fazia transporte de pessoas mortas, e conseguiram interceptar e prender em flagrante de Leonardo, Marcos e Tiale, que foram levados à Delegacia de Homicídios (DEHS) e autuados por homicídio, sequestro e porte ilegal de arma de fogo.

No momento da captura, os corpos das vítimas, de “Careca” e de Leandro, estavam no porta-malas, e na pele deles havia sinais de tortura e escarifação, com inscrições das letras “FDN”, que faz referência à facção criminosa Família do Norte, sendo este um suposto recado com informação de quem seriam os mandantes do crime e donos da droga.

Com o trio, dentro do carro, foi apreendido um revólver calibre 38 com cinco munições deflagradas e uma pistola 380 com quatro munições intactas. O Peugeot seria possivelmente incendiado após a “desova”. A polícia ainda investiga detalhes da maneira como as vítimas foram mortas e também procura pelos outro cinco suspeitos que conseguiram fugir.

Envolvimento

Nenhum dos presos quis conversar com a imprensa, e a polícia não conseguiu confirmar se eles fazem parte da organização criminosa “FDN”. As duas vítimas, segundo a polícia, eram conhecidas por fazer “arroche” de drogas, ou seja, roubavam carregamentos de droga e repassavam material para outros traficantes ou té para fora de Manaus.

Conforme os delegados Geórgia Cavalcanti e Pablo Geovanni, da DEHS e do 9º Distrito Integrado de Polícia, respectivamente, Leonardo, Marcos e Tiale têm passagem na polícia e respondem a processos na Justiça do Amazonas por tráfico de drogas. Já Leandro, o genro morto, estava cumprindo pena em regime aberto, prisão domiciliar, por tráfico também.

Publicidade
Publicidade