Publicidade
Manaus
Ideb conquistado com ‘paixão’

Gestor de escola com melhor pontuação no Ideb ressalta compromisso coletivo

“Com paixão conseguimos quebrar padrões, barreiras, superar desafios. Cada um se esforça o máximo para cumprir dentro das possibilidades, pois temos muitas limitações”, diz professor 18/09/2016 às 18:33 - Atualizado em 20/09/2016 às 17:40
Show ideb033333
Diretor Francisco Salles contou que a estratégia para bater a marca no Ideb fora aulas de reforço e produção de apostila. Foto: Euzivaldo Queiroz
Luana Carvalho Manaus

Com o sugestivo nome de Vila da Felicidade, escola municipal que atingiu  a melhor marca no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em Manaus tem como principal característica “a paixão” de seus professores e do corpo administrativo pela tarefa de promover uma educação de qualidade.

“Com paixão conseguimos quebrar padrões, barreiras, superar desafios. Cada um se esforça o máximo  para  cumprir dentro das possibilidades, pois temos muitas limitações. Mas com muito sacrifício e paixão, conseguimos obter um bom resultado”, afirmou o diretor da unidade escolar, Francisco Salles.

Localizada no bairro Mauazinho, área vermelha do tráfico na Zona Leste de Manaus, a escola atende 350  alunos, muitos em vulnerabilidade social. Mas, graças ao empenho dos educadores,  saltou de 4.4 no Ideb de 2005 para 7.6 na última avaliação, divulgada este mês, se destacando pelo melhor desempenho da rede municipal nas séries iniciais.

“Muitas pessoas olham o resultado e não sabem o que tem por trás disso. A escola não é tão boa estruturalmente, não tem quadra de esportes, mas mesmo com as limitações, os profissionais se empenharam e se dedicaram por um só objetivo, que era alcançar nossa meta no Ideb. Acabamos ultrapassando”, conta Francisco Salles, gestor da escola há nove anos.

A meta era passar de 5.4 (nota de 2013) para 5.6 em 2015. Mas a dedicação superou o objetivo. “Fizemos um planejamento estratégico sobre todas as ações que poderíamos fazer em 2015 para alcançar nossa meta. Nós verificamos os erros das provas anteriores”.

Trabalho coletivo
E todos abraçaram a causa. Tanto que os professores se reuniram e, com o apoio da divisão de educação da área, elaboraram uma apostila de quase 400 páginas para nortear os estudos para a Prova Brasil. Isto depois de lerem artigos sobre as escolas com os melhores resultados e replicar experiências.

“Depois do planejamento, vem o empenho de toda a equipe escolar, porque o Ideb é de toda a escola”, completou. Juntando o fluxo de aprendizagem (índice de aprovação) com a nota da prova de 2015, a escola ficou com o melhor resultado no Ideb entre as escolas municipais.

O “reforço diferenciado” foi, segundo o gestor, determinante. “Muitos dos nossos alunos estão com uma distorção de aprendizagem.  Então começamos a fazer o reforço no contraturno para que eles alcançassem as habilidades e competências daquela série”, contou.

Publicidade
Publicidade