Terça-feira, 25 de Fevereiro de 2020
SEGURANÇA

Governador critica declarações de prefeito sobre ação de PMs no Crespo

"É uma declaração irresponsável. E eu não vou permitir que a minha tropa seja desrespeitada", garantiu Wilson Lima



arthur_DBC893B7-4949-4C11-97DE-4AF47C283950.jpg Foto: Izaias Godinho
20/12/2019 às 14:58

Durante coletiva de imprensa, o governador Wilson Lima chamou de irresponsáveis as declarações do prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto, em relação a uma ação policial das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam) que resultou em outubro, no bairro Crespo, na Zona Sul de Manaus, na morte de 17 suspeitos de tráfico. A fala ocorreu na sede do Governo, localizada no bairro Compensa, Zona Oeste, nesta sexta-feira (20).

Na ocasião, Wilson Lima disse que não vai permitir que as tropas da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PMAM) sejam desrespeitadas. “É uma declaração irresponsável. E eu não vou permitir que a minha tropa seja desrespeitada. Policial que está na rua, é policial que está no ‘fio da navalha’ para garantir a tranquilidade das nossas famílias”, disse o governador.



No pronunciamento, o governador relembrou do assassinado de Ronaldo Ferreira Correa Brito, 61, que era Sargento da Reserva da Polícia Militar. O policial foi morto com um tiro no peito na manhã de quinta-feira (19).

“O sargento da reserva foi velado após ser atingido por três bandidos. É exatamente esse bandido que a polícia está combatendo. E eu não vou permitir que ninguém ataque a nossa tropa e os nossos policiais dessa forma. E me causa muita estranheza partir um ataque desses de uma autoridade que deveria reconhecer o trabalho desses homens”, disse o governador.

Durante entrevista em um programa de rádio local na quinta-feira (19), o prefeito de Manaus sugeriu que policiais militares da Rocam e da Força Tática atuaram para defender a facção criminosa Família do Norte (FDN), durante confronto no bairro Crespo, no dia 30 de outubro deste ano. 

No programa, Arthur declarou que o confronto com membros da facção criminosa foi em uma situação desigual e salientou que a ação policial beneficiou outro grupo criminoso.  "Então essa história de virem com conversa fiada de dizer que não morreu ninguém. Policial não [foi] atacado pelas costas. Eram garotinhos ali. E aqui para nós, o grave: era uma equipezinha contratada pelo Comando Vermelho [para atacar a área da FDN] e o pessoal [PM] foi muito mais lá para defender a Família do Norte. É esse o ponto que estamos chegando aqui", afirmou o prefeito.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.