Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
FISCALIZAÇÃO

Governador e vice vão à maternidade Balbina Mestrinho acompanhar funcionamento

De acordo com Wilson Lima, Centro de Parto Normal Intra-hospitalar, com banheiras para parto na água, deve ser inaugurado ainda neste primeiro semestre



IMG_7436_03B6D153-9BB6-46A1-B1C1-49ABF26488B7.jpg Fotos: Diego Peres/Secom
05/03/2019 às 14:30

O governador Wilson Lima e o vice-governador e secretário de saúde, Carlos Almeida, estiveram na Maternidade Balbina Mestrinho, na manhã desta terça-feira (05/03), para acompanhar o funcionamento da unidade durante o feriado prolongado de Carnaval. A visita segue o cronograma para averiguar o funcionamento do plano de ação da Secretaria de Estado de Saúde para esta época festiva, além do estoque da unidade que realiza 450 partos mensais.

“Vim para ver principalmente o estoque de medicamentos. A gente conseguiu praticamente dobrar a capacidade do que a gente tinha no mês de janeiro. Claro que ainda falta uma quantidade significativa para ser reposta, mas a gente está trabalhando para que isso efetivamente aconteça”, afirmou o governador.

Segundo a diretora da maternidade, Rafaela Silva, a readequação da padronização dos medicamentos usados na unidade gerou uma economia e evitou o desperdício de insumos que ocorria desde 2010. A diretora também informou que estão abastecidos de alimentação enteral e parenteral para os recém-nascidos que necessitam dessa dieta.

Durante a visita, o governador e o vice estiveram no Centro de Parto Normal Intra-hospitalar (CPNI), que está com 90% das obras concluídas e deve ser inaugurado ainda nesse semestre. Assim que o setor for inaugurado com quatro leitos, sendo dois equipados com banheiras para o parto na água, a unidade será a primeira da região Norte com este tipo de serviço..

“No mês passado eu já autorizei recursos para que mobiliários sejam colocados nesse espaço, para parto normal e humanizado”, destacou Wilson Lima. 

O vice-governador e secretário de saúde, Carlos Almeida, apontou que o esforço da direção e dos demais profissionais da maternidade colaborou para as melhorias ao longo desses dois meses. “Há um engajamento muito grande da direção e do corpo médico, enfermeiros  e demais profissionais, todos se encontram trabalhando para que possam dar condições melhores para as grávidas.  O espaço do parto humanizado que vai ser implementado é algo excepcional”, disse. 

Reconhecimento - O advogado Lauro Carvalho cumprimentou o governador e o vice pelo trabalho realizado na rede de saúde do Estado. Ele contou que o filho nasceu em uma instituição particular há um mês, mas teve complicações e escolheram a maternidade Balbina Mestrinho para interná-lo por ser referência. “Nós optamos pela qualidade da maternidade Balbina Mestrinho pela qualidade do serviço. E, realmente, a experiência nos mostra que é uma das melhores unidades neonatais de Manaus”, relatou.

O advogado expressou a gratidão ao corpo técnico pelos serviços prestados. “O atendimento é excelente, as enfermeiras, os técnicos, os médicos, a equipe multidisciplinar é muito boa, nós estamos super satisfeitos, nós fomos muito bem tratados”, assegurou. 

H1N1 - O governador Wilson Lima enfatizou que está tomando medidas preventivas para o combate à H1N1, como a abertura de leitos de retaguarda, contando com apoio do Ministério da Saúde. Também ressaltou a campanha de mídia que vem sendo feita,  junto com a Prefeitura  de Manaus,  para  orientação  à população. 

“Estamos fazendo as campanhas de orientação de alguns procedimentos que devem ser tomados, como evitar lugar de muita aglomeração, lavar as mãos, o cuidado redobrado, principalmente com as grávidas, e o ministro da Saúde se comprometeu em antecipar a campanha de vacinação para o Estado do Amazonas. Então, já na segunda quinzena de março, nós vamos ser o primeiro estado a receber essas doses de vacina”, garantiu.

O secretário Carlos Almeida ressaltou que a rede de saúde  estadual e municipal estão abastecidas com o antiviral Tamiflu, utilizado para combater os primeiros sintomas de H1N1. “O Tamiflu não é a vacina para combate ao H1N1. (...) O Tamiflu só pode ser prescrito por médico, então você pode procurar a rede antes de aceitar a prescrição do remédio”.

*Com informações de assessoria

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.