Publicidade
Manaus
AVIAÇÃO

Governo do AM, União e Prefeitura têm 15 dias para se manifestar sobre Aeroclube

Contrato da Aeronáutica com o Aeroclube de Manaus termina em agosto. Em audiência pública, nesta segunda-feira (7), foi mencionada a transferência do Aeródromo para Iranduba 07/05/2018 às 19:43
Show aeroc
Foto: Reprodução/Internet
acritica.com* Manaus (AM)

Os governos do Estado e Federal e a Prefeitura de Manaus terão um prazo de 15 dias, a contar do envio da documentação, para manifestar-se sobre o término do contrato da Aeronáutica com o Aeroclube de Manaus, que ocorrerá em agosto. O encaminhamento foi resolvido durante audiência pública ocorrida na Assembleia Legislativa (ALE-AM), na tarde desta segunda-feira (7).

O encaminhamento acontecerá em conjunto com a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Caama), da Assembleia, e os Ministérios Públicos Federal (MPF) e Estadual (MP-AM).

“Não podemos paralisar em agosto, é surreal, por isso a urgência da manifestação dos gestores governamentais. Além disso, precisamos de estudos técnicos feitos pela Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e Inovação (Seplancti), ouvindo todos os atores, para as estratégias a serem tomadas em médio prazo”, assinalou o deputado Luiz Castro (Rede), presidente da Caama.

Aeroclube em Iranduba

O município de Iranduba (distante 38,6 km de Manaus) foi citado como local para a próxima sede do Aeródromo, que, atualmente, funciona na avenida professor Nilton Lins, bairro Flores, na Zona Centro-Sul de Manaus. Além de ponto estratégico, por estar próximo da sede de Manaus, o município está capacitado para a instalação, de acordo com Geraldo Luiz Picão, presidente da empresa de táxi aéreo Amazonave.

“Pode-se levar a geração de emprego e renda para Iranduba, pela possibilidade de desenvolver as atividades em outro município. Em Manaus, pode-se usar o local para outros fins, Não só a questão da segurança, mas para o Amazonas, a mudança deve ter função estratégica”, afirmou.

Um dos locais sugeridos para um novo aeródromo é um terreno em Iranduba, nas proximidades da ‘cidade universitária’ da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

O deslocamento do aeroclube para uma área fora da Zona Urbana de Manaus é uma antiga demanda dos moradores do entorno. Luiz Castro, intermediador das discussões sobre a alteração do local, afirmou que os empresários também são favoráveis a mudança.

O parlamentar lembrou que em 2017 foi realizada uma reunião com o MPF, os locatários do aeródromo e representantes dos moradores dos bairros vizinhos. O resultado foi um consenso geral para a transferência do local.

“Naquele momento, discutiu-se a possibilidade, porém aconteceu a transição entre governadores do Estado. Os empresários não foram resistentes quanto a alteração do Aeroclube, desde que respeitadas algumas questões, como acessibilidade para os usuários e proximidade com Manaus. Esses dois itens são importantes especialmente para quem vem do interior, à procura de tratamento médico”, assinalou Luiz Castro.

Para os moradores e trabalhadores do entorno do aeródromo, o local pode ser utilizado para desafogar o déficit habitacional de Manaus, criar uma área de lazer ou mesmo uma creche. O parlamentar sugeriu também que a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM) pode mudar-se para o bairro de Flores. A atual sede da pasta não é do governo do Estado.

Rodoviária no local do Aeroclube

A transferência da atual Rodoviária de Manaus (hoje, instalada na avenida Djalma Batista, também em Flores) para o Aeroclube também foi assinalado durante a audiência pública.

*Com informações da assessoria de imprensa.

Publicidade
Publicidade