Domingo, 15 de Setembro de 2019
Manaus

Governo do Estado vai publicar conjunto de regras para economizar energia elétrica

O caderno faz parte de uma política adotada pelo Estado, em 2009, quando o governo estadual solicitou um diagnóstico para avaliar o consumo de energia elétrica nos prédios públicos



1.jpg O especialista em gestão de energia elétrica, Luiz Felipe Pacheco, e o coordenador de Energia da SDS, Anderson Bittencourt, estão à frente do projeto da SDS
07/03/2013 às 07:51

Para estimular o uso racional de energia e reduzir gastos públicos, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS) deve publicar no próximo dia 5 de junho o Caderno de Encargos de Eficiência Energética que estabelecerá medidas de melhoria no consumo de energia em pouco mais de 1,4 mil edificações públicas do Estado.

O caderno, que já é usado por outras grandes cidades brasileiras, como Rio de Janeiro, faz parte de uma política adotada pelo Estado, em 2009, quando o governo estadual solicitou um diagnóstico para avaliar o consumo de energia elétrica nos prédios públicos.

As sedes das secretarias de Estado da Saúde (Susam), da Fazenda (Sefaz), da Educação (Seduc), de Administração (Sead) - onde também estão localizados os prédios da SDS e do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) - do Instituto de Educação do Amazonas (IEA), da Escola Superior de Tecnologia (EST), da Delegacia Geral da Polícia Civil e da Central de Medicamentos (Cema) foram avaliadas e as oportunidades de melhoria no consumo de energia elétrica foram identificadas.

“A partir disso foi solicitado que o Governo tivesse uma norma legal, neste caso, foi um decreto estadual, para que todas instituições do Estado pudessem adotar medidas que remediassem um consumo de energia alto”, explicou o coordenador de Energia da SDS, Anderson Bittencourt.

O Decreto 31.342, publicado em 3 de junho de 2011, legaliza as ações das unidades consumidoras do Governo do Estado no que se refere à redução do consumo de energia elétrica.

“Todos os prédios avaliados apresentavam um excedente de cobrança. O que mais me chamou atenção foi a Central de Medicamentos porque era um local fechado para evitar furtos e tinha somente medicamentos lá dentro. Então, foi constatado um uso absurdo de ar-condicionado e de iluminação. Conseguimos reduzir R$ 300 mil na conta de energia elétrica do prédio. Trocamos a iluminação comum por iluminação solar, dividimos os medicamentos que precisavam de mais refrigeração e os que precisavam de menos. Em algumas áreas usamos iluminação inteligente com sensor de presença”, disse Luiz Felipe Pacheco, especialista em gestão de energia elétrica.

Contratos

Antes de dar início ao processo de elaboração do Caderno de Encargos de Eficiência Energética para os prédios públicos do Estado, o coordenador de Energia da SDS, Anderson Bittencourt, explica que os contratos de demanda também foram avaliados. Cada prédio público possui um contrato de garantia de reserva de energia elétrica com a concessionária. Entretanto, de acordo com Bittencourt, muitos prédios tinham contratos que estavam ou muito abaixo ou muito acima do necessário.

“Fizemos um grande ajuste nesses contratos de demanda. E assim conseguimos uma redução de R$ 12 milhões. Esse dinheiro público poderá ser usado em outras demandas do Estado”, finalizou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.