Publicidade
Manaus
MUDANÇAS

Governo manda suspender aluguel de prédio para capacitação de detentos no Tarumã

Aluguel do prédio em área residencial foi alvo de protestos de moradores da região; grupo foi à casa de Amazonino protestar na manhã deste sábado 07/07/2018 às 12:28 - Atualizado em 07/07/2018 às 12:29
Show whatsapp image 2018 07 07 at 12.14.31
(Foto: Márcio Silva)
Paulo André Nunes Manaus

O governador do Estado, Amazonino Mendes, determinou que a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap)  suspenda as tratativas para aluguel de um galpão na área do bairro Tarumã, zona oeste de Manaus . O local seria usado para implantação do projeto de um centro de treinamento e capacitação para pessoas que cumprem pena no regime semiaberto e que estão em processo de reinserção social.

A decisão se deu após protestos de moradores da área, que eram contra a proposta apresentada. Neste sábado, diversos moradores do Tarumã organizaram uma manifestação e carreata protestando contra a construção do que, para eles, seria uma unidade prisional. Os manifestantes se posicionaram em frente à residência oficial do governador Amazonino Mendes tentando chamar atenção para a situação."Vamos aguardar o que vai acontecer nos próximos dias em relação a essa situação. O que não se pode é construir uma unidade dessas em uma área residencial", disse Caroline Oliveira, sindica do residencial Ilhas Gregas, que participou da manifestação.

A Secretaria de Estado de Administração da Penitenciária negou, durante a semana, a existência de um projeto para implantar um regime semiaberto no bairro Tarumã, e informou que uma negociação não-concluída envolve o aluguel de um galpão de 23 metros quadrados para a implantação de espaços de treinamento, cursos e atividades laborais para internos do semiaberto. O local ficaria instalado na avenida Tarumã, depois da Cachoeira Alta, em direção ao igarapé do Tarumã. A Seap informou, na ocasião, que a medida atende decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) referente ao processo desativação do regime semiaberto do Completo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). Uma unidade prisional deve ser construída em outro local não definido até o momento, completou a secretaria

Publicidade
Publicidade