Publicidade
Manaus
Manaus

Grande incêndio atinge prédios no Centro Histórico de Manaus; prejuízo ultrapassa R$ 5 milhões

Pelo menos três prédios localizada próximo à Igreja dos Remédios, no Centro de Manaus, são tomados pelo fogo e há risco de desabamento. Chamas podem ser vistas de longe e os bombeiros ainda tentam controlar o sinistro. Fogo teve origem em comércio de deputado estadual 01/10/2015 às 14:38
Show 1
Quatro viaturas de combate foram enviadas ao local
acritica.com* Manaus (AM)

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS

O incêndio que teve início em um depósito de uma distribuidora localizada na rua Leovegildo Coelho, próximo à Igreja dos Remédios, no Centro de Manaus, já atingiu outros dois prédios comerciais e causou um prejuízo estimado em, no mínimo, R$ 5 milhões. Com mais de 50 homens fazendo o combate, o Corpo de Bombeiros ainda luta para controlar as chamas. O proprietário da Distribuidora Ferraz, origem do sinistro, o deputado estadual Augusto Ferraz (DEM), diz que os funcionários ainda tentaram apagar o fogo logo no início, mas não havia mais como usando apenas extintores. Há risco de desabamento.

De acordo com o parlamentar, que cumpre seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa, seu filho foi o primeiro a chegar ao local no início da manhã desta quarta-feira (30), por volta de 7h, e como faz diariamente, acendeu as luzes internas e saiu para conversar com os funcionários na calçada na frente do prédio - que guarda materiais escolares, de limpeza, de utilidades e até de informática básica -, quando viram a fumaça. O filho e os funcionários ainda tentaram controlar as chamas, mas o fogo aumentou rapidamente.

"O prejuízo é estimado em cerca de R$ 5 milhões. Felizmente temos seguro, então isso ameniza um pouco o resultado do incêndio", afirmou o deputado Augusto Ferraz. Além da distribuidora, pelo menos outros dois prédios localizados ao lado também foram atingido. Além da Ferraz, a Distribuidora Disbral, com muito material descartável, e uma unidade da Tropical Multilojas também foram atingidos. Além de um bombeiro que precisou ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), por causa da fumaça, nenhum outro atendimento médico foi registrado.

Foto: Antônio Menezes

De acordo com o Corpo de Bombeiros, que atuou no local mais de 50 homens e mais de 15 veículos, entre de brigada e operacionais, o prédio da distribuidora já desabou internamente, e ainda existe risco de um desabamento total, o que ocasionou o isolamento da região.

Conforme o chefe de Divisão do Instituto Municipal de Egenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans), Marlon de Castro, três quarteirões foram interditados ao redor do foco do incêndio, o equivalente a oito vias. Mais de 20 agentes deram suporte à ação dos bombeiros, que conseguiram confinar as chamas pouco antes de 12h. A Eletrobras Amazonas Energia desligou a distribuição da região, sem previsão de retorno.

Segundo o coronel do Corpo de Bombeiros Jair Ruas, mais de 100 mil litros de água foram usados. O fogo foi controlado e está sendo feito trabalho de rescaldo, que deve entrar pela tarde. Dois prédios ainda estão em risco de desabar, tanto que engenheiros da Defesa Civil de Manaus estão no local justamente para trabalhar em conjunto.

"Confinamos o fogo e não deixamos passar pra outras lojas. Os prédios da retarquada e lateral já estão sem perigos. Três prédios foram atingindos. Dois total (depósito da Ferraz e livraria Disbral)  e um parcial (Tropical Multilojas)", declarou o coronel.


Os bombeiros precisaram do auxílio da concessionária de água Manaus Ambiental quando o líquido de um dos caminhões de combate acabou. No total, os bombeiros contaram com 12 viaturas operacionais e cinco viaturas administrativas no local dando suporte ao combate. Rrês caminhões pipas da Manaus Ambiental também ajudaram.

"Continuamos no local fazendo o combate, apesar do incêndio já ter sido confinado. O prédio da distribuidora continua sendo o problema, pois ainda concentra chamas na parte interna. O piso da parte da frente já caiu e isso está dificultando, já que impede o combate pela área superior, o que seria mais eficiente", explicou o tenente Janderson, responsável pela comunicação do Corpo de Bombeiros. Equipes tentam, agora, acessar a lateral do prédio para finalizar o combate.

Os brigadistas tiveram que forçar acesso a Tropical Multilojas arrombando a parede do imóvel, para fazer o combate e protegendo, assim, todo o estoque da loja. Ainda segundo o tenente Janderson, um quarto prédio foi atingido, mas ainda não foi verificado o risco.


"Só foi chamuscada, ainda não deu pra verificar danos (neste quarto prédio). O fato é que o incêndio está contido entre a Disbral e a Tropical Multilojas. Os dois prédios entre esses tiveram danos significativos. Um teve perda total e outro parcial, mas que pode evoluir para total, pois há risco estrutural visto que já afetou completamente a parte superior, tanto que o segundo andar desabou completamente", conta.

"A área que tá queimando é justamente essa que fico entre os dois andares e que se encontra comprimida entre o teto que ruiu. Estamos perfurando com machados, marretas e serra-eletrica pra poder combater exatamente onde está queimando e assim extinguir o Incêndio", acrescentou o bombeiro.

A fase de extinção aconteceu até 13h, quando teve início o rescaldo do incêndio, onde as autoridades reduzem a quantidade de homens e viaturas atuando no local pelo baixo risco. "Vão ficar apenas cinco (viaturas) atuando no local, pois existe uma área com chama ainda intensa", completa o tenente.

Demolição

No fim da tarde, com o auxílio de um caminhão muck, homens do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil demoliram as fachadas dos prédios atingidos para facilitar o combate ao fogo.

*Com informações da repórter Silane Souza

Publicidade
Publicidade